header top bar

section content

10 anos

13/03/2015 às 23h48

Nesta quarta feira passada, 11 de março de 2015, se passaram exatos 10 anos do falecimento da nossa mãe, Maria Nazareth Lopes Ferreira, Mãe Tété, e aquele velho adágio popular que diz:”o tempo voa”, nunca se fez tão presente entre nós. O tempo pode voar, mas, a saudade e a sua lembrança continua uma marca em cada um de nós, esposo, irmão, cunhadas, filhos, filhas, netos, netas, noras, amigos e amigas. Mãe Tété, sei que acompanhas as nossas jornadas ajudando-nos a vencer as dificuldades que a vida nos impõe, também o quanto percebes que jamais te esquecemos em um só instante, seja nas tristezas, que graças ao bom Deus foram poucas e ou nas alegrias que com a benção dele foram muitas. 

As vossas lições, continuam sendo colocadas em práticas e os seus ensinamentos se constituem no nosso dever de casa, nada que o tempo possa apagar, muito ao contrário, nos fortalecemos como família, amigo e amiga. Temos trabalhado duro para honrar com ética e decência a sua marca deixada cá entre todos os que tiveram o privilégio de te conhecer e como conheciam a senhora, vibram com cada vitória que conseguimos para que esta chama da competência e da bondade de Nazareth Lopes continue viva e muito acesa nas gerações que estão a chegar em nossa família. Junto ao neto Bernardo, sinto que a sua presença de bisavó está ali ao meu lado e recorda-me a felicidade que sentia a chegada de cada neto ou neta. 

A saudade que temos da senhora é como uma enorme ferida sem cura, mas, é uma saudade solidificada em um amor eterno que a denomino de lembranças, ai é onde entra a parte boa do legado que deixastes para cada um de nós: “viver e ser feliz”, como sempre nos dizia, sem olhar a vida de ninguém, apenas a sua, isso todos nós aos domingos rodeados em uma mesa na sua cozinha e ela com uma cervejinha no copo curtindo gole a gole a felicidade de viver e contando-nos as histórias das suas vitórias e conquistas ao longo da sua infância e juventude. Assim viveu Nazareth Lopes, com alegria, respeito as pessoas e completados 10 anos da sua morada eterna, cá estamos nós com essas palavras tentando dizê-la o quanto a amamos. Obrigado Deus pelas lágrimas que somente agora começa a chegar dando tempo para fechar esta nossa homenagem a quem tanto nos homenageia com as suas bênçãos lá do céu. Mãe Tété a nossa benção.

Lá vem o Trovão
A paralisação muito criticada pela comissão técnica do Atlético, parece ter surtido efeito, mas, de maneira positiva. Se o tempo parado foi péssimo para a direção fazer caixa, por outro lado os treinamentos ocasionados pela ausência de jogos oficiais serviu para Tassiano Gadelha dar uma arrumada na equipe com a chegada de alguns reforços que o Trovão buscou no mercado da bola. A soma disso tudo é que o time fez uma belíssima partida contra o Treze de Campina Grande lá no Presidente Vargas e quase que sai de campo com uma vitória heroica, mesmo assim, o empate em 1 a 1, foi muito comemorado pelos atleticanos que já estão prevendo casa cheia neste domingo 15 no Colosso das Capoeiras frente o Bota da capital.

Sessentão
Parabenizamos o grande amigo, fantástico ser humano e um dos maiores meio campista que vi jogar em Cajazeiras, Reginaldo Cosmo de Freitas o nosso Nenem Mãozinha. Ele acaba de apagar a velinha de número 60, inteiro, com muita saúde e gozando de tamanha admiração por parte de todos os que o conhece e com ele tem a honra e o privilégio do seu convívio. No futebol, foi um dos fenômenos de uma das mais talentosas gerações que Cajazeiras produziu e com a sua qualidade técnica encantou quem o viu jogar. A nossa homenagem a este ilustre piranhense-cajazeirense. 

BOLA DENTRO
Para a minha esposa Edinilza aniversariante da semana. Mulher fantástica, recebe dos filhos Maíra, Maitê e Marcel, dos genros Emanuel e Fernando e da nora Paula, além, claro, do neto Bernardo e das cunhadas e cunhados, os parabéns. Essa merece a NOTA 10! 

BOLA FORA
Para a pressão que os chamados grandes do futebol paraibano já começam a fazer na arbitragem estadual. Sem bons resultados alcançados até então o jeito é apelar para a força do grito e o apito amigo. Isso é Brasil. NOTA 0!

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Professor da UFCG de Educação Física, Comentarista Esportivo da Rádio Alto Piranhas e Colunista Esportivo do Jornal Gazeta do Alto Piranhas

Contato: reudesman@bol.com.br

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Professor da UFCG de Educação Física, Comentarista Esportivo da Rádio Alto Piranhas e Colunista Esportivo do Jornal Gazeta do Alto Piranhas

Contato: reudesman@bol.com.br