header top bar

section content

100 ANOS: Dioecesis Cajazeirasensis

06/02/2014 às 15h58

A Diocese de Cajazeiras foi criada pelo Papa Pio X, através da bula "Maius Catholicae Religionis Incrementum", no dia 06 de Fevereiro de 1914 . De lá pra cá, 100 anos se passaram. É evidente que diante de uma herança histórica como essa, centenas foram os fatos e os acontecimentos, assim como também, centenas foram as pessoas que marcaram a peculiar história desta Diocese Cajazeirense, fundada no Alto Sertão Paraíbano desmembrada da então Diocese da Paraíba.

Devido a enorme expansão territorial da Diocese da Paraíba, era extremamente difícil a possibilidade de intercambio entre as paróquias, sobretudo àquelas mais próximas do Sertão e distantes da sede, cujas distâncias atingiam entre 400, 500 e 550 km. A Diocese de Cajazeiras é gerada diante grande necessidade de encurtar distancias territoriais entre o Pastor e suas ovelhas e levar todos os homens à uma proximidade maior com o Cristo e com a Igreja.

O anuncio do Evangelho precisava chegar aos homens e mulheres sertanejos sedentos da água que sacia o corpo, mas também daquela água que sacia a alma. A semente da palavra precisava encontrar-se com a terra árida e seca do sertão. A terra, sim! Deveria ser rachada de seca. Mas, os corações de centenas de homens e mulheres de boa vontade, eram solícitos e acolhedores á grande novidade.

Centenas de milhares, foram aqueles homens e mulheres simples que cotidianamente acorriam com seus cantos, hinos e romarias até a pequena capela de Nossa Senhora da Piedade que havia sido construída por Mãe aninha como lugar do culto cotidiano daquelas pessoas de almas nobres e corações disponíveis e que veio a ser primeira catedral do bispado. Dom Moisés Coêlho, o primeiro morador ilustre do lugar episcopal.

A fé simples, porém resistente, é umas das marcas identitária desse povo sofrido e esperançoso desse Alto "torrão" paraibano. O que para nossos ancestrais seria uma pequena capela, para nós hoje, a 'batizamos' pelo nome de Igreja Matriz Nossa Senhora de Fátima. Os templos aumentam de acordo o crescimento demográfico local e também de acordo com a expressão devocional das pessoas. A vida e a fé do povo alargou-se de uma capela á uma Igreja. O pequeno vilarejo "dos Rolim", também se desenvolveu. A Diocese de Cajazeiras, nestes cem anos, se destaca pelo seu grande potencial evangelizador e propagador da Boa Nova do Reino e sua voz profética de denúncia e anúncio da libertação do homem redimido pelo Cristo. Anunciadora por meio de palavras e ações, através da Fé e da Vida.

Nesta história centenária, inúmeros foram os sacerdotes, que de forma silenciosa, imolaram suas vidas no altar do martírio cotidiano. Homens que disseram ‘sim’ ao Projeto de Deus para suas vidas e levaram até ás últimas consequências os desafios de sua escolha. Quantos sacerdotes, que em sua vida silenciosamente imolada, se assemelharam ao Servo sofredor profetizado por Isaías: “Foi maltratado e resignou-se; não abriu a boca, como um cordeiro que se conduz ao matadouro, e uma ovelha muda nas mãos do tosquiador” (Isaías 53,7). Incontáveis religiosos e religiosas, leigos e leigas, que não se acomodaram a viver uma vida medíocre, mas que, por amor ao Evangelho e á Igreja, se tornaram homens e mulheres desafiadores do seu tempo e conduziram suas vidas pelas premissa da Boa Nova de Jesus.

Na história da Dioecesis Cajazeirasensis centenária há muito sangue, suor e lágrimas derramados como testemunho evangélico por amor à Cristo e à sua Igreja. Todos nós cidadãos cajazeirenses – Católicos ou não – somos devedores desse passado, que mesmo não sendo vivenciantes oculares, somos depositários da sua herança histórica e espiritual, da sua riqueza humana e social. A Diocese de Cajazeiras, nesta festa centenária, não celebra somente construções feitas ou títulos conquistados, mas celebra, sobretudo, as centenas de milhares de vidas doadas em martírio por amor à Cristo e no anuncio destemido do Evangelho. Pois a verdadeira história da Igreja sempre é construída sobre o alicerce da martiria evangélica por amor ao Outro.

Unidos á Dioecesis Caiazeirasensis centenária, iremos também nós Agradecer, Celebrar e Evangelizar.

 

Damião Fernandes

Damião Fernandes

Damião Fernandes. Poeta. Escritor e Professor Universitário. Graduado em Filosofia. Pós Graduado em Filosofia da Educação. Mestre e Doutorando em Educação pela (UFPB). Autor do livro: COISAS COMUNS: o sagrado que abriga dentro. (Penalux, 2014).

Contato: damiaofernandes.cz@hotmail.com

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

Damião Fernandes

Damião Fernandes

Damião Fernandes. Poeta. Escritor e Professor Universitário. Graduado em Filosofia. Pós Graduado em Filosofia da Educação. Mestre e Doutorando em Educação pela (UFPB). Autor do livro: COISAS COMUNS: o sagrado que abriga dentro. (Penalux, 2014).

Contato: damiaofernandes.cz@hotmail.com