header top bar

section content

Dom José Gonzales e os 19 anos de Episcopado

17/03/2014 às 20h02

Deus quando chama, não leva em consideração como prerrogativa para a escolha, qual seja a distância geográfica ou qual seja a origem étnica. Deus quando chama, não se prende a títulos honoríficos ou capacidades intelectuais. Deus quando chama, pode considerar todas essas coisas, desde que elas sejam fundamentais para a missão á qual o Senhor convoca e envia. Mas, quando Deus chama, o que ele prefere mesmo é que o homem traga consigo apenas o coração alargado de grande para acolher sua convocação. Quando Deus chama o homem, o que somente ele exige é seu coração aberto para sair de sua terra, da sua parentela, da sua casa e ir adiante, sempre adiante, onde a vista se encerra no horizonte.

No dia 12 de julho de 1940, nascia em Sobradillo na Salamanca, o pequeno José Gonzáles Alonso, filho de José González Marco e Maria del Rosário Alonso Méndez, fez os primeiros estudos na terra natal. Cursou Humanidades e Filosofia no Seminário Diocesano de  Ciudade Rodrigo na Espanha. Fez Teologia na Pontifícia Universidade de Salamanca na Espanha.

Quando já sacerdote, que foi ordenado no dia 29 de Junho de 1964 – Neste ano de 2014, no Ano Centenário da Diocese de Cajazeiras, Dom José Gonzáles celebra 50 ANOS DE VIDA SACERDOTAL – complementou e convalidou a Filosofia na Universidade Federal do Piauí. Complementou seus estudos na Universidade Gregoriana, de Roma, onde fez atualização nas áreas de Teologia Dogmática, Direito Canônico e História do Cristianismo.

Dom José, ouviu o chamado de Deus “além-Mar” e respondeu destemidamente com o coração disponível a navegar. Foi sagrado Bispo em  18 de Março de 95 na cidade de Terezina no Piauí. De lá pra cá, já se vão 19 anos de Vida Episcopal toda ela consumida por amor a Cristo e à Igreja sob o Lema "Fides Et Vita" (Fé e Vida). A vida de si mesmo, sendo toda ela, transformada pela vivência cotidiana da fé que brota das Palavras do Verbo. Ao mesmo tempo que a Fé, deve ser também ela, impregnada na história pessoal capaz de transubstancia-la internamente. Quem convive com Dom José, facilmente percebe, que não há contradição existencial entre a FÉ proclamada e a VIDA testemunhada. Em suas palavras e nas suas ações, existe sim é uma complementaridade.

Dom José é um Bispo que se faz Povo, que se faz gente. É um Bispo no meio do povo, pois compreende que assim o conduzirá melhor. Quanto mais ele está no meio do povo, como cristão, mais para os cristãos ele será Bispo. Assim como a vocação tem uma forte raiz comunitária, também a vivência e o exercício da missão guardam laços semelhantes. É com os demais seguidores de Jesus, sacerdotes e leigos, que o bispo responde á Cristo e à sua Igreja. Vale aqui retomar o pensamento de Santo Agostinho, sempre lembrado quando se trata da comunitária figura do Bispo: "Atemoriza-me o que sou para vós; consola-me o que sou convosco. Pois para vós sou Bispo; convosco sou cristão. Aquilo é um dever; isto, uma graça. O primeiro é um perigo; o segundo, salvação".

O Papa João Paulo II, homem que fez de seu episcopado uma fonte de bênçãos, vislumbrava nestas reflexões o caminho do serviço e de maturação espiritual. O encargo (ser bispo) é melhor exercido sob a linguagem de serviço. E o "perigo" se tornava, graça para o crescimento e maturação. São muito evocativas as suas palavras: "O ministério episcopal não é fonte de santidade apenas para os outros, mas é já motivo de santificação para aquele que deixa passar, através do próprio coração e vida, a caridade de Deus".

Dom José foi ordenado bispo aos 18 de março de 1995, em Teresina – Piauí, assumindo o Lema Episcopal: “Fides et Vita” (Fé e Vida). O seu pastoreio na sertaneja igreja de Cajazeiras é uma expressão visível da fusão desse binômio; as suas atitudes de pastor revelam que a fé deve iluminar a vida para que a mesma seja fecunda e produza abundantes frutos a exemplo do seu ministério episcopal que tem fecundado a vida e a fé do seu rebanho.

O coração de todo homem e de toda mulher de boa vontade, se alegra com o Dom majestoso de sua vida inteiramente doada a serviço de milhares pessoas, que beberam do seu sacerdócio, enquanto que o seu bebia na fonte do Sacerdócio de Cristo. Quantos não experimentam na acolhida e no apoio de suas mãos, a acolhida e a força de Cristo que não abandona aqueles que sofrem, vítimas das práticas injustiças do mundo e dos homens.

Com o coração em festa o saudamos. Com a alma jubilosa, o parabenizamos!

Feliz aniversário Episcopal, Dom José.

Damião Fernandes

Damião Fernandes

Damião Fernandes. Poeta. Escritor e Professor Universitário. Graduado em Filosofia. Pós Graduado em Filosofia da Educação. Mestre e Doutorando em Educação pela (UFPB). Autor do livro: COISAS COMUNS: o sagrado que abriga dentro. (Penalux, 2014).

Contato: damiaofernandes.cz@hotmail.com

MERCADO NEGRO

EXCLUSIVO: Padre denuncia que Cajazeiras está repleta de ‘locadoras de armas’: “A polícia sabe” – VÍDEO!

PARABÉNS

VÍDEO: Veja a mais nova música que homenageia a cidade de Cajazeiras nos seus 154 anos de emancipação

AO VIVO

Assista ao Debate de Cajazeiras completo; vários temas foram levantados para melhorar a cidade

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

Damião Fernandes

Damião Fernandes

Damião Fernandes. Poeta. Escritor e Professor Universitário. Graduado em Filosofia. Pós Graduado em Filosofia da Educação. Mestre e Doutorando em Educação pela (UFPB). Autor do livro: COISAS COMUNS: o sagrado que abriga dentro. (Penalux, 2014).

Contato: damiaofernandes.cz@hotmail.com