header top bar

Reudesman Lopes

section content

O dia em que o futebol perdeu – Por: Jerônimo Jr

14/07/2017 às 08h48

Deixem que o futebol sobreviva. Meu filho merece ter esse privilégio.

Lamentáveis. Só o que dizer das cenas de violência, pânico e vandalismo em São Januário, onde mais uma vez o futebol foi derrotado. O que aconteceu transcende os limites do esporte! Adversários, não inimigos. A maior plataforma levantada pelo futebol é a da integração, do trabalho em grupo, da oportunidade de tirar da violência os jovens que o estado esqueceu.

Cenas como a daquele sábado nos fazem repensar muito sobre uma série de coisas, mas principalmente uma mensagem chama a atenção: A de que não é apenas futebol. Essa frase, que geralmente é utilizada para conotar momentos bons no futebol, hoje mostra que o sentido pode ser mais amplo do que pensamos ou desejamos. Não é apenas futebol o que faz uma pessoa tão feroz e descontroladamente querer matar a outra. Não é apenas futebol o que faz uma guerra estourar simplesmente por causa de um resultado negativo.

Não é apenas futebol olhar crianças e mulheres sendo agredidas e traumatizadas no meio da sua torcida. Regredimos. Saímos derrotados. Os marginais venceram. Talvez você esteja pensando, que isso é item exclusivo da torcida do vasco, mas infelizmente não é. Hoje, quem coloca a mão no fogo por sua torcida e pode dizer que cenas como aquelas nunca mais serão vistas? Quem pode dizer que sua torcida aceitaria uma derrota de forma normal? Talvez a grande verdade é que não gostar de perder é intrínseco ao ser humano, mas saber perder é necessário para a sua evolução como cidadão.

A verdade é que ainda não somos civilizados o suficiente para assistir futebol, nós vivemos ele! E em uma intensidade que muitas das vezes supera os limites aceitáveis. E isso passa por diversos fatores, educação, segurança, autocontrole, e principalmente por entender que, ali, naquele momento, naquele campo, não é uma guerra, ali é sim, APENAS futebol. Se depois de sábado você repensou quando será a próxima vez que você levará seu filho ao estádio, parabéns pela lucidez. Até quando seremos reféns da violência e perversão de alguns? O que precisamos vai muito além de paz, precisamos é de educação, conscientização e punições aos envolvidos.

Chega de impunidade! Talvez quem precise ler essa coluna não leia, talvez leia e nem seja sensibilizado, mas não podemos nos calar e tratar como normais cenas como aquelas. Talvez para eles entenderem, com uma pontada no coração, sinto informá-los: É apenas futebol. Deixem que o futebol sobreviva. Meu filho merece ter esse privilégio.

Abandonado?

Apesar da excelente campanha que vem realizando no Campeonato Brasileiro da Série D, o Sousa Esporte Clube ainda não conseguiu fazer com que o seu torcedor, em Sousa, no Marizão, o prestigiasse. Resultado, o Dinossauro está jogando para um público de “pelada” quando recebe os seus adversários em sua sede. Isso explica a causa que está levando o time de Aldeone Abrantes a atrasar seus compromissos. Quem viu os principais lances mostrados pela TV na segunda feira após a vitória sobre o Guarany de Sobral pode atestar que de fato o Dino foi mesmo abandonado pelos seus torcedores.

No Higino

Provavelmente o jogo entre ex atletas que fizeram parte da história do futebol de Cajazeiras a se realizar no próximo mês de agosto abrindo as solenidades em homenagem ao craque Perpetúo Correia Lima nos seus 40 anos de falecimento será no Estádio Higino Pires Ferreira. Esse é o entendimento daqueles que cultuam a história do craque Péto. Foi neste Estádio que ele encantou os cajazeirenses e cajazeirados com a maestria da arte do seu futebol. Nele Perpetúo conquistou títulos e resultados impressionantes para os clubes em que vestiu a sua camisa e principalmente para a saudosa seleção de futebol de Cajazeiras.

BOLA DENTRO

Para o Melo que nos representa no Campeonato Paraibano de Futsal. Mesmo com as dificuldades que uma competição deste nível oferece, o Melo vem a mostrar o salonismo da terra do Padre Rolim. Melo é NOTA 10!

BOLA FORA

Para a barbárie acontecida em São Januário quando da final do jogo entre Vasco e Flamengo. O futebol perdeu, a sociedade perdeu. O Brasil precisa mudar e urgente, com ele o futebol. NOTA 0!

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Professor da UFCG de Educação Física, Comentarista Esportivo da Rádio Alto Piranhas e Colunista Esportivo do Jornal Gazeta do Alto Piranhas

Contato: reudesman@bol.com.br

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Em Continência ao Senhor Jesus com a participação dos membros da Igreja Batista Nacional

XEQUE-MATE

Xeque Mate recebe roteirista e atores do filme cearense e independente “Os Olhos de Alice” ; CONFIRA!

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Sara Samita e Dimas Andriola

RESUMÃO DA RODADA

Diário Esportivo lista principais acontecimentos da oitava rodada do Campeonato Paraibano

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Professor da UFCG de Educação Física, Comentarista Esportivo da Rádio Alto Piranhas e Colunista Esportivo do Jornal Gazeta do Alto Piranhas

Contato: reudesman@bol.com.br