header top bar

Reudesman Lopes

section content

O futebol paraibano, um caso a se pensar

21/02/2014 às 00h26

O momento que passa o futebol paraibano é de extremada complicação, o pior de tudo isso é que a cada ano que se inicia, vamos caminhando a passos largos para o abismo que nos espera, isso, sem dó e nem piedade. Afinal de contas, quem é o grande culpado pelo caos que vem se aprofundando no futebol deste estado? Na verdade, a culpa precisa sem debitada a todos nós que alardeamos mundo afora o nosso amor pelo futebol e, nesta esteira de incompetência, entenda-se, Federação Paraibana de Futebol, dirigentes, atletas, torcedores e imprensa ou crônica esportiva, como queira entender o amigo leitor. Infelizmente, a nossa cultura sempre foi e deve se arrastar por séculos, jogar a culpa em alguém quando alguma coisa está errada, nisso somos craques de verdade. 

Desde que me disseram ser um cronista esportivo, falo e tento ser ouvido no quesito de planejamento do nosso pobre futebol. Qual o problema de todos os segmentos do futebol paraibano, se sentarem ao redor de uma mesa para discutir e debater os graves problemas que vão minando este esporte em nosso estado? Realizar um seminário, ou uma ação de se pensar, estudar e planejar o futebol, é tão difícil assim? Claro que não. 

Entretanto, as iniciativas para um acontecimento desta dimensão não aparece de nenhuma parte, nem a FPF, nem os dirigentes dos nossos clubes e tão pouco a crônica esportiva toma a sua responsabilidade de uma busca de minimização dos tão graves problemas que aflige a cada temporada o futebol paraibano. Certeza, mais fácil, aliás, bem mais fácil, ficar jogando a culpa na Federação Paraibana de Futebol na pessoa da sua presidenta Rosilene Gomes, nos dirigentes que não estão nem ai para se planejar, nisso, o tempo vai passando e nós quanto cronistas esportivos, apenas lamentando ter que ver um clube, como o Atlético de Cajazeiras, ficar mais de 15 dias, sem jogar uma partida de um campeonato oficial e patrocinado pela entidade maior deste esporte, esperando para saber a data do seu próximo compromisso e quem será o seu adversário. 

Chegamos ou não chegamos ao abismo? Fica evidente que sim, mas, a culpa do caos vai ser sempre atribuída ao vizinho. Apelo para que apareça no futebol paraibano e seja este, imprensa, dirigente ou de qualquer área, cabeça para repensar o futebol deste estado. Não entendo a causa que não leva nenhum ser “inteligente” a ver por este lado que estamos a comentar, ou seja, pensar e replanejar o futebol estadual, fica aqui a nossa sugestão e que alguém apareça para programar algo que possa minimizar nossos sérios problemas.

Sai o futebol entra a folia 1
A Federação Paraibana de Futebol (FPF) mal resolveu o problema da falta de estádios em João Pessoa e já se viu novamente impedida de marcar jogos para a Capital. Desta vez, o motivo é uma determinação do Ministério Público, que impede que a cidade receba partidas entre 20 e 28 de fevereiro, durante as prévias carnavalescas. Assim, a 11ª rodada, que tinha três jogos previstos para João Pessoa, segue sem data marcada; e a 12ª rodada foi antecipada para o próximo fim de semana, mas com Auto Esporte x Santa Cruz-PB adiado. Em uma das várias reuniões realizadas entre representantes do Ministério Público e da FPF, a Polícia Militar argumentou que durante o 'Folia de Rua' seria inviável garantir a segurança dos eventos esportivos. Araújo ainda tentou realocar Auto Esporte x Santa Cruz para o sábado, mas a PM foi irredutível.

Sai o futebol entra a folia 2
Com a impossibilidade, então, de realizar jogos em João Pessoa, a Federação marcou apenas três partidas para o fim de semana, todos válidos pela 12ª rodada: Queimadense e CSP se enfrentam às 16h do sábado no Amigão; Campinense e Atlético de Cajazeiras duelam às 16h do domingo também no Amigão; e, Sousa e Sport Campina jogam no Marizão. Assim, ficam pendentes para o fim da primeira fase as rodadas de número 11, 13 e 14. Na 14ª, Araújo já adiantou que não vai mexer. Quanto à 11ª e à 13ª, que têm três jogos em João Pessoa cada uma, só vão ser realizadas após o 'Folia de Rua', o que significa dizer que após este domingo o Paraibano só vai ser retomado no fim de semana seguinte. 

BOLA DENTRO
Para o professor Joaquim Alves Neto (Kim). Essa semana ele fez aniversário. Foi o fundador do Karatê em Cajazeiras. Vai os nossos parabéns ao ilustre amigo com a merecida NOTA 10!

BOLA FORA
Para aqueles que esquecem que o caos do futebol paraibano é cria exclusiva da Federação Paraibana de Futebol. A bagunça tem que ser creditada na conta da FPF, dirigentes dos clubes, crônica esportiva e fiéis torcedores. Então, para todos nós a NOTA 0!

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Contato: reudesman@bol.com.br

ENTREVISTA

VÍDEO: Programa Psicologia no Ar recebe professor doutor de Cajazeiras pra falar sobre Psicologia Social

INTERVIEW

VÍDEO: Autor do filme “Memória Bendita” fala sobre os desafios de promover cultura na região de Sousa

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Fonte de Água da Vida

MARIA CALADO NA TV

Maria Calado na TV recebe diretamente do Rio Grande do Norte, Fábio Carvalho; CONFIRA!

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Contato: reudesman@bol.com.br