header top bar

Damião Fernandes

section content

O político-Messias

06/08/2016 às 15h40

O messianismo, representou na históriadas culturas como a vinda ou no retorno de um ser divino enviado por uma Divindade, que traz em suas mãos o poder de libertar toda a Humanidade do poder da opressão. Seja ela de caráter político-social, econômica ou religiosa. Este termo ‘messias’ vem do hebraico mashiah e do grego christós.Portanto, ele seria uma entidade com super poderes e tarefas que deve mobilizar a favor de um grupo ou de um povo subjugado. Em um sentido mais amplo, usa-se também esta expressão referindo-se a alguém investido de uma missão sagrada, nem sempre com a conotação devida.

Observa-se que ao longo da história, no imaginário coletivo cultural das gentes, de diversas maneiras tem se manifestado um tipo de messianismo político.Do Sebastianismo em Portugal a Antonio Conselho em Canudos no Brasil, verifica-se uma grave carência popular da existência de um tipo de libertador que com um cajado na mão, possa dividir o mar vermelho e retirar do povo a opressão. A principal ideia do movimento messiânico é afirmar a real possibilidade de se instaurar o paraíso, o Reino dos Céus, na terra, tendo como único meio a luta, seja por meio de ideais ou armas ou através de ambas. O messias do novo paraíso é homem público, o político profissional revestido de uma roupagem divina e epifânica.

Com isso, a imagem do “político messias” impregnou o imaginário da população como aquele homem que se entrega por amor à causa dos indefesos e um homem bom, abnegado, que poderia fazer tudo pelo bem comum, unindo o país em torno de um objetivo comum. Aproveitando-se dessa cultura, políticos populistas e socialistas transformaram, de maneira predominante os sertões do país em verdadeiros currais eleitorais, onde cada animal tem a sua marca de registro de posse. As pessoas e suas consciências, tornam-se propriedades privadas de líderes políticos de aureolas populares e de postura moral criminosa. Tais líderes, agindo feito deuses, tornam-se os únicos instrumentos de salvaçãopara o povo e ainda, aquele por quem Deus resolveu liberar prodígios e milagres.

Por esses sertões, o “político messias” estende por onde passa a incoerência entre o que fala e o que faz, entre o que promete e o que cumpre. Na sua ética, falar é mais importante do que fazer. Prometer é mais importante do que cumpri. Da sua ética faz parte um tipo de linguagem farsantes, uma retórica vazia. A sua ética é um tipo de “medida para todas as coisas”, onde mentir, roubar e falsear a verdade é o caminho para se conseguir o bem e a paz. Desde que seja uma arte manuseada bem, serve como método. É um tipo de moralidade intimista. O“político messias”é o Príncipe dos vilarejos, cidades e vilas.

Nestes tempos, na terra do Padre Rolim como em tantas outras terras distintas, floresce um típico sertanejo de político: O “político-messias”. Aquele que se intitula o porta voz da mensagem de libertação de todas as gentes. Aquele que virá salvar os desprotegidos e indefesos. Aquele que traz nas mãos a solução irreversível e imediata para todos os problemas. Dizem até que ele pode curar. O “político-messias” acredita ter parentesco com o deus-onipotente. Ele arrebanha uma tipo de seguidores que de tão fiéis, são também conhecidos por os fiéis babões.

Damião Fernandes

Damião Fernandes

Contato: damiaofernandes.cz@hotmail.com

ENTREVISTA

VÍDEO: Programa Psicologia no Ar recebe professor doutor de Cajazeiras pra falar sobre Psicologia Social

INTERVIEW

VÍDEO: Autor do filme “Memória Bendita” fala sobre os desafios de promover cultura na região de Sousa

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Fonte de Água da Vida

MARIA CALADO NA TV

Maria Calado na TV recebe diretamente do Rio Grande do Norte, Fábio Carvalho; CONFIRA!

Damião Fernandes

Damião Fernandes

Contato: damiaofernandes.cz@hotmail.com