Fernando Caldeira
Fernando Caldeira - caldeira.fernando@bol.com.br

Jornalista profissional em diversas emissoras de rádio e jornais da Paraíba, atualmente é articulista do Gazeta do Alto Piranhas (Cajazeiras), produtor e apresentador do programa Trem das Onze, apresentado aos domingos pela Rádio Alto Piranhas, colunista dos portais diariodosertão, politicapb, obeabadosertao, canalnoite, e mantém na internet o portal www.fernandocaldeira.com.br

17/03/2017 às 16h52 • atualizado em 17/03/2017 às 16h53

Obrigado Lula, o NE lhe agradece!

Como toda que se preze, ela tem início, meio e fim. Nossa história começa em 1831 quando D. Pedro II, o Magnânimo, assume o segundo e último império no Brasil que vai até 1889.

Pois aquele menino de 5 anos feito imperador tornou-se um velho de barbas, erudito e estudioso, e pensou em transpor as águas do Rio São Francisco para o Nordeste setentrional, que conhecemos por sertão, para amenizar os efeitos da seca. Estávamos no século IXX. E nada de transposição!

Veio a Proclamação da República (15 de novembro de 1889) instituindo no Brasil o regime presidencialista, e nossa história prossegue. Deodoro da Fonseca, Floriano Peixoto, Prudente de Morais, Campos Sales, Rodrigues Alves, Afonso Pena, Nilo Peçanha, Hermes da Fonseca, Venceslau Brás, Rodrigues Alves novamente, Delfim Moreira, Epitácio Pessoa, Artur Bernardes e Washington Luís, foram Presidentes do Brasil na chamada Primeira República. Já estávamos no século XX. E nada de transposição!

A Segunda e Terceira Repúblicas, com 16 anos de duração, teve inicialmente uma junta governativa formada por Augusto Tasso Fragoso, Isaías de Noronha e João Mena Barreto, seguida por Getúlio Vargas, e depois José Linhares. Continuávamos no século XX. E nada de transposição!

Entramos na Quarta República: Eurico Gaspar Dutra, Getúlio Vargas novamente, Café Filho, Carlos Luz, Nereu Ramos, Juscelino Kubitschek, Jânio Quadros, Ranieri Mazzilli e João Goulart. Mais 16 anos de República no século XX. E nada de transposição!

Começa a Quinta e penúltima República: Ranieri Mazzilli novamente, Humberto Castelo Branco, Artur da Costa e Silva, junta governativa formada por Aurélio de Lira Tavares, Augusto Rademaker e Màrcio de Sousa Melo, Emílio Garrastazu Médici, Ernesto Geisel, João Figueiredo. Mais 21 anos de República no século XX. E nada de transposição!

Na atual República, a Sexta, tivemos: Tancredo Neves, José Sarney, Fernando Collor, Itamar Franco, Fernando Henrique Cardoso e finalmente Luiz Inácio Lula da Silva. Agora já estávamos no século XXI. E enfim, depois de 39 Presidentes da República Federativa do Brasil, o que D. Pedro II imaginou um dia fazer, um cabeça chata, cabra da peste de Caetés, Pernambuco, tirou do papel e tornou realidade, feito Presidente pela força do povo!

Neste domingo (19), ao lado da ex-Presidenta Dilma Rousseff e do ex-ministro Ciro Gomes, também dois expoentes dessa obra, Lula estará em Monteiro (PB), para a inauguração popular da transposição pelo eixo leste, que já é realidade.

OBRIGADO LULA, O NORDESTE LHE AGRADECE!

*Neste domingo estarei em Monteiro (PB) fazendo flashes ao vivo para o Trem das Onze da visita de Lula, Dilma, Ciro Gomes, entre outros, à transposição de águas do Rio São Francisco.

Deixe seu comentário