header top bar

section content

Padre Raimundo, o Decano da Diocese de Cajazeiras

20/02/2014 às 23h57

O padre Raimundo Honório Rolim vai lançar um livro, com capítulos da sua caminhada de 83 anos, cujo titulo já nos dá uma dimensão da grandeza desta obra: “Vida e Missão Atropeladas”, onde relata acontecimentos de sua vida e ressalta o valor do povo e das comunidades “em que esteve envolvido”.

Na última quarta-feira me entregou um exemplar de “sua vida atropelada” e na oportunidade nos demoramos numa longa e deliciosa conversa. É sempre muito bom conversar com Padre Raimundo, que irá completar no dia 18 de novembro 84 anos de vida e sobre esta data explica: “nasci em plena ebulição da Revolução de 1930 e por teimosia”.

O livro narra episódios de sua “atropelada” vida e ao começar a ler, não dá mais vontade de parar. Quem conhece o padre Raimundo sabe que ele é de falar pouco, mas é um homem de ação, coragem, destemor e de muita fé e consagrou toda a sua vida à igreja e ao trabalho. 

No livro, narra vários episódios, todos esclarecedores, e que nos enriquece com dados e fatos marcantes de nossa/sua história e nos dá uma valiosa colaboração sobre o cotidiano do nosso povo e a sua relação cidade/campo, já que também ficou conhecido como o padre agricultor, que lavrava a terra para dela tirar os frutos, exemplo igual ao do Padre Rolim, que também assim procedia.

Muitos são os episódios que marcaram a vida deste cidadão de uma humildade ímpar e de conceitos irreparáveis e que tem uma grande folha de serviços prestados a Cajazeiras e em especial a nossa Diocese.

Quem não se lembra do episódio em que cercou, de arame farpado e estacas de jurema, a igreja de Nossa Senhora de Fátima (primeira Catedral de Cajazeiras), para evitar que os foliões do carnaval, que era realizado na Praça João Pessoa, transformassem o patamar da igreja num motel e suas laterais de “mijadouro”? E da “briga” com a Saelpa que queria cobrar a iluminação pública em torno da igreja? Foi aplaudido pelo povo.

Padre Raimundo foi sempre muito pontual nas celebrações religiosas e num sábado teria que realizar um casamento e antes das cinco horas da tarde já estava no altar, ao lado do noivo que esperava a noiva, mas como a mesma estava demorando muito padre Raimundo chegou pertinho do fotografo (que era José Cavalcante) e cochichou no seu ouvido: “avise aí que vou jantar e só faço o casamento agora depois da missa”. 

Já pertinho das seis horas entra, triunfalmente a noiva, bela e sorridente e é recebida pelo futuro marido e se postam diante do altar e alguém falou: chama o padre aí! Mas os noivos foram avisados pelo fotografo: “não adianta ir chamá-lo que ele não vem e já deixou um recado: só faz o casamento agora depois da missa”.

A noiva estrebuchou, chorou, esperneou e dizendo que não ia mais casar, mas foi consolada e se conformou com a decisão do padre, que tinha outro compromisso com seus pontuais fiéis para celebrar a tradicional missa das sete da noite da Igreja Matriz. Os nubentes e convidados tiveram que assistir a missa.

Então, depois da missa, o casamento foi celebrado e os noivos vivem felizes até hoje. Muitos outros e belos exemplos, por padre Raimundo são narrados, mesmo sendo muitas vezes atropelados. 

Descendente dos fundadores de Cajazeiras, já que era primo por parte de mãe e sobrinho por parte de pai de um dos mais ilustres filhos de Cajazeiras, o Padre e Mestre Inácio de Sousa Rolim, e talvez seja o mais próximo parente de Padre Rolim ainda com vida, em Cajazeiras. 

Padre Raimundo, dentre os dez irmãos, tem José Lins Rolim, o mais velho, que é Geólogo, formado pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e com pós-graduação na França, que está com 92 anos de idade, foi professor da Universidade Federal de Pernambuco e reside na cidade do Recife. Outro irmão, Antonio Lins Rolim, também tinha curso superior: era Bacharel em Direito, formado pela Universidade Federal da Paraíba, onde foi professor, já falecido e sepultado na cidade do Recife.

Disse-me ele que tem mais escritos que dá outro livro e que pretende publicá-los junto com assuntos da área social e dogmática. Ficamos aguardando o lançamento do seu próximo livro, caríssimo Padre Raimundo, que com certeza vai traduzir o pensamento mais uma vez do honrado e humilde cidadão que Cajazeiras tem por obrigação reverenciar e admirar.

José Antonio

José Antonio

Professor Universitário, Diretor Presidente do Sistema Alto Piranhas de Comunicação e Presidente da Associação Comercial de Cajazeiras.

Contato: altopiranhas@uol.com.br

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

José Antonio

José Antonio

Professor Universitário, Diretor Presidente do Sistema Alto Piranhas de Comunicação e Presidente da Associação Comercial de Cajazeiras.

Contato: altopiranhas@uol.com.br