header top bar

Reudesman Lopes

section content

Papai, a saudade só aumenta

22/12/2017 às 11h00 • atualizado em 22/12/2017 às 11h53

Seu Osmídio/Foto arquivo familiar

Hoje são 22 de dezembro, e há um ano, Deus chamava papai, Osmídio Lopes Ferreira, aos 88 anos de idade, para a morada eterna ao seu lado. Naquele momento da sua partida, vivenciamos sentimento de muita dor que se misturava com as nossas lágrimas para lhe dizer o quanto o amamos. Passado um ano, a saudade só aumenta, trazendo as recordações de um pai que cobrava de cada um dos seus filhos, compromisso e responsabilidade com os estudos, lealdade com a família, respeito com os familiares, e muito carinho com os amigos. Estas “aulas”, sempre repetidas quando havia necessidade, vimos o tamanho da sua eficácia com o passar dos anos das nossas vidas e assim pudemos entender porque ele se apegava tanto a nos mostrar estes ensinamentos.

Lá do céu, onde ele se encontra, acho que ele está a se orgulhar dos filhos que deixou aqui na terra e a dizer que os seus “puxões de orelha” nos seus meninos valeu, e como valeu a pena. Conosco, os seus filhos, sempre se queixava de não ter ido mais adiante nos seus estudos, não concluiu o ginasial, embora, seus pais, tivessem lhe dado a oportunidade e dizia que essa sua falha não queria que acontecesse a nós, filhos.

Dele herdei muitas coisas que eu o via falando ou realizando-a, uma delas é a pontualidade, o amor pelos esportes foi outra destas heranças que ele nos deixou e, a mais importante de todas, não dar um passo adiante sem saber onde colocar o pé. Jamais comprou algo se não pudesse quitar a compra na mesma hora. Vai o homem, o pai, ficam guardadas para sempre junto aos seus filhos e filhas, os familiares, os amigos, as suas recordações, as suas lembranças, os seus feitos.

A saudade só aumenta, das andanças todas as tardes quando eu o levava para o seu passeio lá em Décio na praça João Pessoa, depois, para bater um papo com o grande amigo Careca lá na praça Padre Cícero e lembranças quando Darlene o levava para a feira no sábado.

Tranquilo, amigo e fiel aos seus, Osmídio com aquela mansidão logo conquistava o carinho e a amizade das pessoas e, não era homem de muitas palavras e nem admitia certas brincadeiras que levasse alguém ao deboche, se estivesse em algum local que presenciasse algo assim, ele se retirava e nos dizia para não andarmos naquele ambiente.

Papai aqui a saudade é grande e só aumenta cada vez que olho para a sua casa é como o visse fechando as portas e janelas. Hoje, aqui na terra, levantamos as nossas preces ao céu, ao nosso Deus, em missa de 1 ano do seu falecimento pelo pai que ele nos presenteou. A celebração se realizará na Catedral de Nossa Senhora da Piedade às 17:15 horas.

Balada e demissão

O lateral esquerdo Peu não entendeu o recado dado pela diretoria do Atlético Cajazeirense de Desportos quanto ao problema de indisciplina. Fotografado em uma balada pela madrugada, no dia que antecedia o primeiro jogo treino do time, o jogador teve a sua imagem divulgada em redes sociais e logo que a notícia chegou aos dirigentes do Trovão Azul a posição de demissão do atleta foi imediata. Com problemas disciplinares em 2017, a direção do Mais Querido do Sertão não quer nem saber de jogador de balada e o aviso já foi dado através de Peu.

Inovando

Dos times da Paraíba, o Sousa era um daqueles que mais parecia não dar muita “bola” para o seu marketing, pelo menos este colunista via assim após anos e anos. Pois bem, não é que o Dino inovou para 2018. Fez uma bela festa na apresentação dos seus jogadores e, com direito a sorteio de motos para os seus torcedores. Sempre achei que esse era um dos raros defeitos do time de Aldeone Abrantes, não trabalhar a sua popularidade na região da grande Sousa. Pelo visto, vai vir boas novidades para o clube da terra sousense

BOLA DENTRO

Para o posicionamento da direção do Atlético Cajazeirense de Desportos quanto ao caso de indisciplina de Peu. Agiu rápido e certo. Assim, fica claro o recado aos demais atletas. NOTA 10!

BOLA FORA

Para a disparidade clara e notória entre o futebol europeu e o brasileiro com relação aos clubes. O Real Madrid brincou com o Grêmio. 1 a 0 foi pouco e enganador. Parecia o “gato e o rato”. O time brasileiro não viu a cor da bola. NOTA 0!

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Professor da UFCG de Educação Física, Comentarista Esportivo da Rádio Alto Piranhas e Colunista Esportivo do Jornal Gazeta do Alto Piranhas

Contato: reudesman@bol.com.br

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula

Reudesman Lopes

Reudesman Lopes

Professor da UFCG de Educação Física, Comentarista Esportivo da Rádio Alto Piranhas e Colunista Esportivo do Jornal Gazeta do Alto Piranhas

Contato: reudesman@bol.com.br