header top bar

section content

Pressão popular e respostas

14/03/2015 às 00h07

O Senado Federal aprovou em 1º turno o fim de coligações partidárias para eleições proporcionais (deputados e vereadores). A proposta ainda terá de ser discutida novamente em plenário em três sessões para ser submetida a uma nova votação. Em caso de aprovação em 2º turno, seguirá para análise da Câmara dos Deputados.

Essa decisão é apenas o início de uma discussão sobre um dos pontos polêmicos da reforma política, que tanto se cobra, mas que vem sendo postergada há muito tempo. Segundo se comenta nos bastidores, há uma tendência favorável à aprovação também na Câmara.

Inegavelmente, trata-se de um avanço para se chegar a uma mudança mais profunda do atual modelo político, já tão desgastado e que tantos problemas têm causado à vida democrática do país. Se aprovada, essa PEC deverá contribuir para o fortalecimento dos partidos políticos, pois põe fim a uma relação de dependência entre as legendas que, na maioria dos casos, descaracteriza os programas partidários.

Em meio a essa grave crise política vivida pelo país, com o surgimento de novos movimentos de rua, o Senado Federal dá sinais de que pode avançar na ideia da tão propalada reforma política. É, na verdade, um esforço para dar algumas respostas, na tentativa de minimizar seu profundo desgaste diante da sociedade. É, portanto, uma resposta à pressão popular.

Diante dessa nova postura, espera-se a discussão sobre os outros itens, principalmente sobre os mais polêmicos, tais como: financiamento público de campanha, reeleição e fidelidade partidária. Não se sabe, no entanto, se esse debate é o que mais interessa no momento. A sociedade parece insatisfeita com as dificuldades econômicas e com a onda de escândalos, envolvendo grande parte da classe política.
 
Águas de março
As chuvas caídas neste mês, em Cajazeiras e em outros municípios sertanejos, não foram suficientes para a recarga dos grandes reservatórios que abastecem as cidades da região. Engenheiro Avidos, Lagoa do Arroz e São Gonçalo, por exemplo, continuam num nível muito crítico. Cajazeiras e Sousa continuam correndo sério risco de colapso no abastecimento.

Perigo nas estradas
Os animais soltos nas rodovias do Sertão continuam causando muitos acidentes, inclusive com vítimas fatais. Lamentavelmente, as autoridades fecharam os olhos para esse grave e crônico problema, que se constitui numa ameaça à vida de todos que trafegam pelas estradas paraibanas. Até quando essa situação?

Trânsito caótico
A população de Cajazeiras continua cobrando muito algumas ações para pelo menos minimizar as dificuldades no trânsito local. A situação vem se agravando a cada dia, exigindo medidas urgentes por parte da gestão pública municipal.

José Anchieta

José Anchieta

Redator do Jornal Gazeta do Alto Piranhas, Radialista, Professor formado em Letras pela UFPB.

Contato: janchietacl@hotmail.com

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

José Anchieta

José Anchieta

Redator do Jornal Gazeta do Alto Piranhas, Radialista, Professor formado em Letras pela UFPB.

Contato: janchietacl@hotmail.com