header top bar

Fernando Caldeira

section content

RC joga como os grandes mestres

06/09/2017 às 17h43

Governador Ricardo Coutinho

Em que pese estarmos há 14 meses da eleição, o movimento das pedras no tabuleiro sucessório paraibano, contudo, há tempos já foi iniciado.

Inicialmente foram as oposições que instigaram o debate, quando afirmavam que o governo não tinha nomes para suceder o atual governador e que elas tinham nomes sobrando, citando Romero Rodrigues (PSDB-CG), Zé Maranhão (Senador-PMDB) e Luciano Cartaxo (PSD – JP), principalmente.

Tempos depois, num primeiro lance, o governo define João Azevedo como seu pré-candidato e deixa os oposicionistas sem mais aquele discurso e, pior, sem definição de quem seja seu candidato. É bem verdade que ainda há muito tempo mas, para quem dizia que tinha nomes de sobra e que o governo não tinha nome nenhum, convenhamos, a situação inverteu-se!

Com o nome de JA definido, RC passou a apresentá-lo, num segundo lance, nas diversas regiões do Estado sob o lema “João Azevedo é a continuidade do nosso governo e do nosso projeto.” E, não sem motivos, essas andanças ganharam generosos espaços de toda mídia, colocando em segundo plano a candidatura oposicionista, que ainda nem se definira por Romero, ou por Zé ou por Cartaxo.

Tal qual os grandes mestres do xadrez que movimentam uma pedra já calculando quatro e até mais jogadas à frente, depois de consolidar seu candidato RC passou ao terceiro lance, iniciando uma reaproximação com Zé Maranhão, comandante em chefe do PMDB.
Satisfeito com o cortejo palaciano, Maranhão, também mexendo as pedras do xadrez, acena positivamente ao chefe do executivo e aí a ciumeira toma conta das hostes do Paço Municipal distanciando mais do que se imagina Maranhão e Cartaxo.

Atônito com o trator de esteira socialista que arrasta sua lavoura política tão bem adubada nos últimos tempos, o PSDB do senador Cássio está sem saber pra onde vai e o que fazer!

Pra quem achar tudo isso pouco, é bom pensar nos lances por vir. Porque, ao atrair Maranhão, Ricardo aprofundou o fosso que separa o PMDB de Cartaxo, além de enfraquecer articulações do PSDB em direção à pré-candidatura do PSD, porque ninguém quer se articular com quem perde aliados.

De lance em lance o governador vai minando uma pré-candidatura de união nas oposições, isolando até então possíveis pré-candidatos.

Nesse compasso, dificilmente Luciano Cartaxo deixará a Prefeitura de João Pessoa.

S O L T A S

*do CAUC – Cadastro Único de Convênios, limpando o nome da cidade.

*A segunda grande conquista poderá ser a retirada das antenas hoje instaladas no morro do Cristo Rei. Como disse no comentário anterior, a gestão Zé Aldemir governa no contraponto às gestões anteriores.

*A criação do Museu de Cajazeiras, em sendo efetivado, será outra grande conquista da atual gestão.

* A cada dia que passa acho menos provável a candidatura do prefeito de João Pessoa ao Governo do Estado.

*Como é, vamos ou não lutar pela construção do Parque Cajazeiras no lugar onde hoje é o estádio Higino Pires Ferreira? Continuo aguardando algum engenheiro, desenhista ou arquiteto que nos apresente um “rabisco” de um projeto para iniciarmos a luta por sua construção!

*Domingo é dia de notícia, informação e debate. Domingo tem TREM DAS ONZE – 11h.

Fernando Caldeira

Fernando Caldeira

Contato: caldeira.fernando@bol.com.br

NO CALDEIRÃO POLÍTICO NA TV

Advogado fala da profissão, discute política e diz que Luciano Cartaxo é favorito nas eleições de 2018

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com o Ministério de Louvor: Fonte de água da vida

SAÚDE MENTAL

VÍDEO: “Psicologia no Ar” reestreia na TV debatendo as dúvidas e estereótipos que os psicólogos carregam

ENTREVISTA

VÍDEO: Com demonstrações ao vivo, fisioterapeuta cajazeirense explica como funciona a Quiropraxia

Fernando Caldeira

Fernando Caldeira

Contato: caldeira.fernando@bol.com.br