header top bar

Francisco Cartaxo

section content

Timidez do poeta Cristiano Cartaxo

10/08/2015 às 15h26

Por Francisco Cartaxo

No dia 6 de agosto, Cristiano Cartaxo Rolim teria completado 128 anos, se fosse possível viver tanto. Ele morreu em 1975, também no mês de agosto, dia 29, ainda lúcido, muito embora a memória, a vista e o mal de Parkinson já lhe causavam enervante angústia. Nascido em 1887, meu pai estudou na Bahia e no Rio de Janeiro, onde obteve o diploma de farmacêutico para juntar-se a seu genitor, major Higino Gonçalves Sobreira Rolim, pioneiro boticário em Cajazeiras, licenciado para exercer atividade de farmacêutico em ato formal assinada pelo imperador Pedro II, em 1875. 

Cristiano Cartaxo ocupou posições na política cajazeirense – vereador, secretário municipal, prefeito interino – mesmo sem ter vocação de administrador público ou para as lides parlamentares e partidárias. Ele também não se entusiasmava com o comércio, conquanto fosse cuidadoso e competente no aviamento de receitas médicas e no trato das pessoas. Cristiano gostava mesmo era das letras, de versejar, tendo preferência especial pelo soneto. Fez-se professor, lia muito, inclusive em francês, disciplina que ensinou anos a fio. Talvez escondesse na leitura e na poesia sua timidez, o que não o impedia, porém, de falar em público, de proferir discursos e palestras. 

Exemplo emblemático de sua reservada conduta se deu quando rejeitou convite do cônego Matias Freire para integrar a Academia Paraibana de Letras. Tenho agora em mãos exemplar dos Estatutos daquela entidade, enviado a meu pai pelo ilustre sacerdote, com um bilhete, de 5 de junho de 1945, no qual “pede autorização para falar bem de seu nome na Academia”. Encontrei-o entre velhos papeis no acervo deixado por minha irmã Maria Ilina, falecida mês passado. Lá estava também um rascunho incompleto, escrito a lápis, da resposta de Cristiano a Matias Freire. Ei-lo:

“Recebi os Estatutos da Academia e o folheto sobre o Congresso de Esperanto, acompanhados do pedido de apresentação do meu nome à tão ilustre confraria. É este mais um estímulo sério que recebo para sair de minha toca sertaneja. E é com pesar que sinto haver chegado tarde demais o vosso convite amigo. Meu gosto demasiado pelas letras mais se afirmou em atividades fecundas, de modo que me sinto bem hoje sem os protestos (ilegível) em uma das cinco categorias de sócios da Academia. Cumpre-me agradecimentos à vossa lembrança, que mais parece reflexo dos que não me conhecem de perto”. 

A timidez manifesta-se com igual vigor no soneto Ânimo Forte, dedicado ao cônego Matias Freire, em particular no primeiro quarteto:

“Estou velho, já não me tenta mais

a veleidade de afagar a ideia

de figurar na olímpica assembleia

mortal que sou, em meio aos imortais.”

Ora, ao ser convidado, Cristiano Cartaxo não completara ainda 58 anos! Sempre exibiu boa saúde e faleceu com 88 anos. O convite não chegara tarde, portanto. Era puro receio de sentar-se ao lado de intelectuais que ele conhecia à distância, em sua maioria, pela imprensa e por meio da leitura de livros. O poeta Cristiano superestimava a capacidade intelectual de seus futuros colegas de Academia, ele que optara por viver em Cajazeiras, numa época em que as distâncias geográficas eram tão grandes quanto às de nível cultural. Ou, pelo menos, mais acentuadas do que hoje, penso. E assim, Cajazeiras perdeu um imortal, imortal solene, da Academia, na qual é patrono o padre Inácio de Sousa Rolim, cuja cadeira foi ocupada pelo cônego Matias Freire.   

Francisco Cartaxo

Francisco Cartaxo

Escritor, filiado União Brasileira de Escritores/PE, ex-secretário de Planejamento da Paraíba, ex-secretário-adjunto da Fazenda de Pernambuco, ex-secretário-adjunto de Planejamento do Recife, Articulista semanal do jornal Gazeta do Alto Piranhas, de Cajazeiras, Consultor associado à CEPLAN, Consultoria Econômica e Planejamento.

Contato: cartaxorolim@gmail.com

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares

ALÍVIO

VÍDEO: Presidente da OAB de Cajazeiras afirma que a Comarca de Bonito de Santa Fé não será mais fechada

Francisco Cartaxo

Francisco Cartaxo

Escritor, filiado União Brasileira de Escritores/PE, ex-secretário de Planejamento da Paraíba, ex-secretário-adjunto da Fazenda de Pernambuco, ex-secretário-adjunto de Planejamento do Recife, Articulista semanal do jornal Gazeta do Alto Piranhas, de Cajazeiras, Consultor associado à CEPLAN, Consultoria Econômica e Planejamento.

Contato: cartaxorolim@gmail.com