header top bar

section content

Em protesto comerciante se amarra numa árvore com uma corrente em Cajazeiras

Um homem de 38 anos se acorrentou, nesta quinta-feira (30), por cerca de três horas em protesto contra a Ordem judicial emitida pela 4ª Vara de Cajazeiras nesta quarta-feira (29), motivou tal atitude

Por

30/04/2009 às 23h14

Um homem de 38 anos se acorrentou, nesta quinta-feira (30), por cerca de três horas em protesto contra a Ordem judicial emitida pela 4ª Vara de Cajazeiras nesta quarta-feira (29), motivou tal atitude de Sudervânio Florêncio de Souza (foto), pois, na referida ordem mandar retirar do passeio público sua tenda de espetinho.

Sudervânio, conhecido por pintor, reside no Bairro da Esperança, em Cajazeiras.O comerciante tomou a atitude radial de permanecer acorrentado numa árvore, ás margens da Avenida Engenheiro Carlos Pires de Sá, centro de Cajazeiras, para chamar atenção dos transeuntes e das autoridades tendo em vista que, a partir de agora, ficará sem seu ganha pão.

Em rápidas palavras com a nossa reportagem o “pintor” nos informou que sairia daquela situação quando uma autoridade local comparecesse e o informasse onde e quando poderá retornar com seu trabalho, por sorte o presidente da Câmara Municipal Marcos Barros apareceu e esclareceu que na próxima segunda (04) de maio haverá uma Sessão na Câmara informando do projeto que beneficiará os barraqueiros de Cajazeiras que foram atigidos pela decisão judicial.

Da redação do Diário do Sertão
Com informações e foto do Folha Vip

Tags:
"TRAÍRA"

EXCLUSIVO: Rosilene rompe o silêncio, se solidariza com portais, diz estar arrependida em apoiar Amadeu na FPF e pede desculpas aos clubes

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Em Continência ao Senhor Jesus recebe os adoradores por excelência da Igreja Luz da Vida; Veja!

MARIA CALADO NA TV

Maria Calado na Tv recebe Guilherme Costa e Pisada do Chefe de Joca Claudino – PB; Confira!

EX-REITOR DA UFCG

VÍDEO: Thompson Mariz quer Ricardo no Senado e confirma João Azevedo para governador: “Não tem plano B”