header top bar

section content

Presidiário mata vereador por causa de macumba

Um crime ocorrido ontem à noite chocou a população da cidade de Mari, distante cerca de 60 Km da capital do Estado. O candidato a vereador Antonio Pereira da Silva, popularmente conhecido como Tota da Macumba, foi executado, por volta das 6 horas da tarde, com dois tiros à queima roupa. O crime aconteceu na […]

Por

12/09/2008 às 15h40

Um crime ocorrido ontem à noite chocou a população da cidade de Mari, distante cerca de 60 Km da capital do Estado. O candidato a vereador Antonio Pereira da Silva, popularmente conhecido como Tota da Macumba, foi executado, por volta das 6 horas da tarde, com dois tiros à queima roupa.

O crime aconteceu na porta da casa da vítima. De acordo com informações da polícia, o acusado é o presidiário Paulo Patrício de Sousa, que cumpria pena por homicídio, em regime semi-aberto, mas estava há alguns dias foragido da polícia.

O acusado foi preso e confessou o crime. Disse à polícia que matou Tota da Macumba para se livrar de um feitiço que teria sido feito por ele, e que o estava deixando com sérios problemas mentais.

A arma do crime, uma espécie de revólver calibre 38 estilizado, chamado de ‘canela seca’, foi encontrada numa localidade rural do município. E para evitar um linchamento por parte da população, que estava revoltada com o crime, a polícia transferiu o acusado para a cidade de Sapé, na Paraíba.

Da redação do Diário do Sertão

Tags:
ADVERSÁRIOS ETERNOS

Breckenfeld diz que nunca será candidato a prefeito de São João nem aliado de Zé Aldemir: “Chance zero”

PSICOLOGIA & FILOSOFIA

Cajazeirense que vendia poesia pra pagar curso em SP fala sobre sonhos e objetivos no “Psicologia no Ar”

CÓDIGO COMPROVA

No 1º Xeque-Mate de 2018, tecnólogo diz que é fácil fraudar eleições com urna eletrônica e explica como

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe o centravante Bruno Aurora, Carlos Kennedy e o presidente da ASCAT-CZ