header top bar

section content

Juiz Sérgio Moro é tratado como ‘Judas’ em ato pró-governo Dilma em São Paulo. VEJA!

Juiz federal foi alvo de cartazes, faixas e palavras de ordem dos manifestantes.

Por Luzia de Sousa

19/03/2016 às 11h09 • atualizado em 19/03/2016 às 11h17

Moro em manifestação a favor de Lula e Dilma na Avenida Paulista - Tiago Dantas/Agência O Globo

Enquanto foi tratado como herói pelos manifestantes que foram à rua no domingo passado pedir o impeachment da presidente Dilma Rousseff, o juiz Sérgio Moro foi um dos principais alvos do ato de ontem na Avenida Paulista. Responsável por determinar a condução coercitiva e a divulgação de grampos telefônicos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, Moro foi lembrado em cartazes, gritos de guerra, um boneco de Judas e discursos de lideranças políticas e artistas.

Pelo menos em dois momentos os manifestantes gritaram “Moro na cadeia” ao reagir a reclamações contra o juiz da Lava-Jato feitas por aliados de Lula. Cartazes pediam o afastamento de Moro e providências do Supremo Tribunal Federal (STF). Um grupo de amigos colou uma fotografia do juiz federal em um boneco com a inscrição: “Moro Judas fariseu”. O boneco atravessou quase todo o ato.

— Esse juiz está extrapolando o poder dele. Ele não pode grampear uma presidente da República — disse o estudante Rodrigo Silva, de 21 anos, que carregava um cartaz com a inscrição “Fora, Sérgio Moro”.

Após tirar uma foto do boneco de Judas com o rosto do juiz, a funcionária pública Elisângela de Almeida Santos, de 27 anos, disse que deixou de admirar Moro nas últimas semanas:

— Eu achava que ele ia acabar com a corrupção, que estava fazendo a coisa certa, mandando poderosos para a cadeia. Mas parece que agora o objetivo dele é só prender o Lula, e vale até divulgar a vida íntima do presidente —disse Elisângela.

Se no chão, o juiz era criticado por quem apóia o PT, nos palanques ele era alvo de duras críticas. Após cantar uma música, a deputada estadual Leci Brandão (PCdoB-SP) chamou o juiz de déspota:

— Queria lembrar que o déspota que deu os braços para deslumbramento está fazendo um problema para o nosso país, destruindo o que a gente construiu com suas decisões judiciais.

Também sem citar Moro nominalmente, o coordenador do MTST, Guilherme Boulos disse que a questão não é defender ou não o governo, é garantir a Constituição:

— Aqueles que deveriam agir em nome da Justiça estão rasgando os direitos constitucionais, rasgando a toga para fazer uma política mesquinha, a pior política que tem.

O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad provocou gritos de “Moro na cadeia”:

— Neste momento, o estado democrático está em risco. Ninguém pode ser acordado às 6h e levado para prestar depoimento se nunca se recusou a prestar esclarecimentos à Justiça. O que se vê hoje é julgamento sumário.

O presidente da CUT, Vagner Freitas, foi além e incendiou a plateia ao afirmar:

— Nós vamos nos livrar do Moro.

Do Globo

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan