header top bar

section content

Marina critica rompimento do PMDB e diz que partido é responsável pela crise atual no País

Ex-senadora afirma que legenda continua fez mera manobra política e continua sendo "o mesmo e velho PMDB" de sempre

Por Josirleide Oliveira

29/03/2016 às 19h24 • atualizado em 29/03/2016 às 19h28

Marina Silva classificou saída do PMDB do governo de "jogada política supostamente magistral". Foto: Facebook/Reprodução

A ex-senadora Marina Silva, da Rede Sustentabilidade, fez dura crítica em sua página no Facebook ao PMDB, que decidiu em reunião, nesta terça-feira (29), deixar o governo Dilma. A ex-ministra, que concorreu em 2014 à Presidência da República, destacou que em “apenas três minutos, e por unanimidade dos diretórios presentes, o PMDB abandonou o governo do qual foi o maior sócio e beneficiário nos últimos 13 anos”.

Ela considera que o partido é responsável, ao lado do governo, pela situação atual do País, mas mesmo assim não deu satisfação à sociedade nem pediu desculpas.

“Apenas a jogada política supostamente magistral para tentar se descolar da crise política e reinventar-se como solução. Continua o mesmo e velho PMDB tentando renascer das cinzas da fogueira que ele ajudou a atear”, escreveu ela.

A manifestação de Marina ocorreu cerca de uma hora depois da decisão do PMDB. Apesar de dizer que impeachment não é golpe, a ex-senadora tem defendido que a solução mais legítima seria a impugnação da chapa vencedora da eleição de 2014, composta por Dilma Rousseff e Michel Temer pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE), conforme processo já em tramitação.

IG

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Maria Vitória e Rodrigo Almeida 11.08.2017

INTERVIEW

Educadora fala da infância difícil e sua trajetória de sucesso: ‘Faltava dinheiro, mas não alegria’

CALDEIRÃO POLÍTICO

Eleições e ‘distritão’ foram assuntos do programa Caldeirão Político; Padre diz que é contra essa emenda