header top bar

section content

Santa marca aos 47 do segundo tempo, vence o Campinense e leva a vantagem

Tricolor joga por um empate para ser campeão do Nordeste. Raposa conquista o título se vencer por 1 a 0, por causa do gol marcado fora. Decisão acontece no domingo, em Campina Grande, a partir das 16h

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

28/04/2016 às 09h24

O Campinense começou melhor. Jogava mais no ataque. E dominava as jogadas ofensivas do primeiro tempo. Não chegava a ser extremamente perigoso, mas tinha mais posse de bola. Isto pouco importou. Porque quem abriu o placar foi o Santa Cruz. Numa cobança de escanteio, Glédson saiu mal e Grafite não perdoou. O Campinense não se abalou. E chegou a colocar a bola para dentro aos 43, com Tiago Sala, mas o gol foi anulado. Na etapa final, as coisas mudaram. O Santa passou a ser mais perigoso, e teve três boas chances de ampliar. Glédson se recuperou da falha e salvou o Campinense. Defesas incríveis. Até que aos 26 Tiago Sala empatou. Tal como antes, marcou quem não jogava melhor. A partir daí, os times passaram a se respeitar. Com medo de sofrer gols, mas querendo atacar. O tempo ia passando. O empate parecia certo. Mas no último lance, o gol da vitória. Raniel cruzou rasteiro, a bola passou por dois raposeiros e Bruno Morais deu a vitória ao Santa.

A vantagem no jogo de volta, no Estádio Amigão, em Campina Grande, é do Santa Cruz, que joga por um empate para ser campeão. Mas a vantagem é mínima. Beneficiado pelo gol marcado fora de casa, o Campinense é campeão se vencer por um simples 1 a 0. Claro que, se o jogo terminar 2 a 1 para a Raposa, a disputa vai para os pênaltis. Vitória raposeira por um gol de diferença em que o Santa marque pelo menos dois gols dá a taça aos pernambucanos. A decisão é às 16h de domingo.

Pelo lado do Tricolor, o destaque é sem dúvida Bruno Moraes. Ele entrou em campo aos 37 minutos do segundo tempo para mudar a história do jogo. O 1 a 1 dava uma bosa vantagem para a Raposa no jogo de volta, mas saiu dos pés de Bruno Moraes o gol da vitória do Santa Cruz. Foi o último lance de um jogo que acabou pendendo positivamente para o time do Recife.

O nime mais marcante da partida foi o do goleiro Glédson, do Campinense. No primeiro tempo, quando a Raposa era melhor em campo, ele saiu mal no lance que resultou no gol de Grafite, que abria o placar para o Santa Cruz. Em compensação, nos primeiros 15 minutos de etapa final, quando o Santa Cruza pressionou, o goleiro fez pelo menos três incríveis defesas, evitando uma catástrofe.

É a segunda vez consecutiva que o Campinense enfrenta um time pernambucano na casa do rival e sofre a derrota no lance final da partida. Nas semifinais, foi contra o Sport. E agora, contra o Santa Cruz. O gol da vitória tricolor saiu aos 47 da etapa final e sacramentou a vantagem pernambucana para o jogo de volta da final do Nordestão.

GE

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan