header top bar

section content

Enfermeiras são flagradas xingando idoso em hospital: “deixa morrer logo”. Veja o vídeo!

Polícia vai ouvir os envolvidos e só então irá decidir se vai abrir inquérito.

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

18/05/2016 às 09h18 • atualizado em 18/05/2016 às 09h20

Duas enfermeiras foram flagradas xingando um idoso internado no Hospital Municipal de Paulínia (SP). A violência ocorreu na semana passada, mas o vídeo foi divulgado nesta terça-feira (17).

As imagens foram gravadas por uma pessoa que estava no hospital e ouviu os gritos. “(…) quieto, fica quieto, droga, fica quieto, saco. Amarra essa p… aí” e “Cala boca” eram frases ditas pelas enfermeiras durante o atendimento ao paciente acamado. [veja vídeo acima]

Na imagem não é possível ver o paciente, apenas as agressões das enfermeiras. “Por que não deixa morrer essa p…? Oh praga” e “Não brinca comigo não, não brinca comigo não (…) você tá brincando seu b…”, dizem as enfermeiras.

Ao perceber que estava sendo filmada, uma enfermeira ainda discute com a pessoa que estava gravando. “Perdeu alguma coisa […] Você nem sabe o que tá acontecendo”, diz.

Justificativa
Depois, ela tenta justificar as agressões. “Devia processar pelo que tá acontecendo, tá quase morrendo, tô querendo ajudar”, afirma.

A pessoa que fez o vídeo também registrou boletim de ocorrência contra as enfermeiras.
A Prefeitura de Paulínia, responsável pelo Hospital Municipal, disse que lamenta o ocorrido e afirmou que está apurando o caso. Já a polícia vai ouvir os envolvidos e só então irá decidir se abre inquérito.

G1

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan