header top bar

section content

Mulher que gritou ‘nasça branca’ em praia é denunciada pelo MP. VÍDEO!

Mulher foi flagrada ofendendo três pessoas na praia da Reserva, na Barra da Tijuca, no mês passado

Por Priscila Belmont

01/10/2016 às 07h00 • atualizado em 30/09/2016 às 14h34

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro (MP-RJ) denunciou, na tarde desta quinta-feira, a pedagoga Sonia Valeria Rebello Fernandez pelos crimes de racismo, injúria racial e ameaça.

No dia 28 de agosto, ela foi flagrada em um vídeo ofendendo três pessoas, na praia da Reserva, na Barra da Tijuca, Zona Oeste. Nas imagens, a mulher diz para a outra: “Não tenho culpa de você se sentir ofendida porque você nasceu mulata, amor. Você é complexada, nasça branca, entendeu? Eu falei com a minha família e você se ofendeu”.

Na ação, o promotor Guilherme Soares Barbosa lembrou que as vítimas tiveram a atenção despertada por Solange, na barraca ao lado, que falava que era preconceituosa, racista, descendente de alemã e que “negro era uma sub-raça”, “não era para estar na praia pegando sol, pois preto não precisa pegar sol”.

De acordo com o MP, a mulher passou a dirigir-se às vítimas com agressões verbais, que passaram então a ser filmadas por um celular. Mesmo diante da gravação, Solange continuou a proferir ofensas às vítimas.

Além de injúria racial, a pedagoga vai responder por ter praticado discriminação e preconceito de raça e cor e por ter ameaçado as vítimas ao dizer que era da milícia e iria se vingar se o caso fosse registrado na polícia. Caso ela seja condenada, pode responder de um a três anos de reclusão, além de pagar multa.

O DIA

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os membros da Associação dos ciclistas de Cajazeiras e região; Confira!

ADVERSÁRIOS ETERNOS

Breckenfeld diz que nunca será candidato a prefeito de São João nem aliado de Zé Aldemir: “Chance zero”

PSICOLOGIA & FILOSOFIA

Cajazeirense que vendia poesia pra pagar curso em SP fala sobre sonhos e objetivos no “Psicologia no Ar”

CÓDIGO COMPROVA

No 1º Xeque-Mate de 2018, tecnólogo diz que é fácil fraudar eleições com urna eletrônica e explica como