header top bar

section content

PM e três suspeitos de roubo morrem em tiroteios em cidade do Nordeste. VÍDEO

O cabo Fábio Romeu foi atingido por três tiros ao atender uma ocorrência contra uma loja de eletrodomésticos. Dois criminosos foram mortos em confronto após invadir uma casa.

Por Estagiário

04/11/2016 às 18h54


A tentativa de roubo de uma loja de eletrodomésticos resultou em dois tiroteios que vitimaram quatro pessoas — inclusive, um policial militar (PM). Uma família ainda foi mantida em cárcere privado por criminosos em fuga. O episódio ocorreu na manhã desta sexta-feira, 4, no Centro de Limoeiro do Norte, no Vale do Jaguaribe.

O policial morto foi identificado como Fábio Romeu Morais e Lima, cabo da 4ª Companhia do 1º Batalhão da PM (4ª Cia/1º BPM). Ele foi atingido por três tiros ao tentar abordar os cerca de cinco suspeitos logo após o arrombamento, às 2h54min, informa a Assessoria de Comunicação da PM. Nesse primeiro tiroteio, um dos suspeitos do roubo também foi morto. O PM chegou a ser socorrido, mas não resistiu.

O restante do grupo fugiu, tendo se escondido em uma casa ainda no Centro e mantido a família residente em cárcere privado. Moradores da região contam que, por volta das 6h30min, uma equipe policial foi acionada para o local e novo tiroteio foi registrado. Dois outros suspeitos foram mortos.

As buscas por possíveis outros integrantes da quadrilha prosseguem na região. Reforço policial de cidades vizinhas foi acionado. Moradores da localidade afirmam que durante a operação mais dois suspeitos foram mortos, informação ainda não confirmada pela Polícia.

O Povo

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com o Ministério de Louvor: Fonte de água da vida

SAÚDE MENTAL

VÍDEO: “Psicologia no Ar” reestreia na TV debatendo as dúvidas e estereótipos que os psicólogos carregam

ENTREVISTA

VÍDEO: Com demonstrações ao vivo, fisioterapeuta cajazeirense explica como funciona a Quiropraxia

VÍDEO!

CONTRA MÃO: Aliado do prefeito de Cajazeiras critica políticos de Brasília, mas admite votar em “golpista”