header top bar

section content

Dia Mundial da Hemofilia é lembrado no Hemocentro da Paraíba

A hemofilia é uma doença genética hereditária que se caracteriza pela falta de fator de coagulação no sangue, responsável pelo controle das hemorragias.

Por Priscila Belmont

17/04/2018 às 10h05

17.04 dia mundial da hemofilia

Orientações sobre o tratamento e os cuidados com a pessoa portadora de hemofilia serão alguns destaques da programação promovida pelo Hemocentro da Paraíba para marcar o Dia Mundial da Hemofilia, nesta terça-feira (17). A hemofilia é uma doença genética hereditária que se caracteriza pela falta de fator de coagulação no sangue, responsável pelo controle das hemorragias.

A doença tem dois tipos mais comuns: Hemofilia tipo A, devido à deficiência do Fator VIII e a Hemofilia tipo B em função da deficiência do Fator IX, ambas afetam principalmente os homens.

Com o tema “Compartilhar conhecimento nos fortalece”, o Hemocentro da Paraíba partilha do objetivo da Federação Brasileira de Hemofilia (FBH) no sentido de promover educação e informação continuada.

De acordo com a diretora-geral, Luciana Gomes, será um momento educativo e com atividades lúdicas. O presidente da FBH e da Sociedade de Hemofílicos da Paraíba, Elias Marques Ferreira, apresentará o tema da campanha deste ano. Já a médica hematologista, Sandra Sibele, abordará o tema profilaxia em hemofilia.

Outro momento de destaque será a apresentação de um grupo de teatro de fantoche. Os artistas expressarão de forma lúdica que a profilaxia (administração regular de fatores da coagulação, a fim de prevenir episódios hemorrágicos) era um sonho que virou realidade.

Finalizando as atividades, haverá um momento de interação com a equipe multidisciplinar do Hemocentro (Assistente social, fisioterapeuta, odontologia e psicologia) e, logo em seguida, uma confraternização com todos os participantes da ação que contará com música, voz e violão, e será acompanhado de um brunch.

Referência – O Hemocentro da Paraíba é o Centro de Referência do Estado para o atendimento e tratamento das pessoas com hemofilia, em todas as faixas etárias. São 276 pacientes com hemofilia cadastrados em todo o Estado.

Os hemofílicos são assistidos por uma equipe multidisciplinar composta por médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, odontólogos, assistentes sociais e psicólogos.

O diagnóstico da hemofilia é feito através de um exame laboratorial que verifica a dosagem do fator de coagulação no sangue.

A profilaxia consiste na administração regular de fatores da coagulação, a fim de manter os níveis elevados, independentemente de episódios hemorrágicos, com o objetivo de preveni-los.

A profilaxia é fundamental para a qualidade de vida das pessoas com hemofilia, pois atua na prevenção das hemorragias decorrentes da coagulopatia.

O tratamento preventivo obtido no Hemocentro, em parceria com o Ministério da Saúde, evita que ocorram sequelas, danos musculares e outros sangramentos com risco de vida, além de proporcionar a liberdade da execução de atividades físicas mais intensivas.

Secom PB

OPINIÃO CONTUNDENTE

EM DECADÊNCIA?: Ex-radialista compara as rádios de Cajazeiras a ‘relacionamento que perdeu o sabor’

QUER APROVAÇÃO?

ENEM 2018: Cursinho inova em Cajazeiras com grande equipe de professores e dinâmica moderna de ensino

PARA A ETERNIDADE

VÍDEO: Programação de 70 anos do Atlético começa com exposição histórica que promete encantar Cajazeiras

ALFINETOU

VÍDEO: Aliado do prefeito destaca asfaltamento de ruas de Cajazeiras e alfineta grupo de Carlos Antonio