header top bar

section content

Sargento da PM morre em hospital após ser baleado em tiroteio na Paraíba; Governo emite Nota

Um sargento da Polícia Militar morreu na madrugada deste domingo (3), no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa.

Por

04/01/2016 às 07h20

Policial morre na Paraíba após tiroteio. Confira!

Um sargento da Polícia Militar morreu na madrugada deste domingo (3), no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa. O policial militar, Sandro Pereira da Silva, de 42 anos, tinha dado entrada no hospital na noite de sábado (2), após ter sido atingido por estilhações de um tiro de espingarda no momento em que fazia buscas no bairro do Geisel, em João Pessoa. Ele morreu em decorrência de uma sequência de paradas cardiorrespiratórias, segundo a assessoria da Polícia Militar.

Ainda de acordo com a assessoria, o sargento foi baleado no momento em que fazia buscas por suspeitos de terem assaltado um ônibus no bairro Valentina Figueiredo. Os estilhaços atingiram o rosto e o braço do policial. O sargento foi encaminhado para o Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa e passou por procedimentos médicos de emergência. O policial tinha dado entrada na unidade de saúde consciente e orientado.

Os suspeitos de participar do tiroteio que feriu o policial foram detidos preso ainda na noite de sábado pela equipe do 5º Batalhão de Polícia Militar. A Polícia Militar emitiu uma nota informando que “está acompanhando a família e o sargento será sepultado com todas as honras e homenagens militares que merece. Aos familiares e amigos, nós que fazemos a Polícia Militar deixamos o mais profundo sentimento de pesar pela morte do nosso policial”.

Ainda de acordo com a Polícia Militar, o velório do policial vai acontecer neste domingo (3) na rua Santa Luzia, próximo ao colégio José Pires, no bairro de Brasília, na cidade de Bayeux, na região da Grande João Pessoa. O sepultamento está marcado  para a segunda-feira (4) no cemitério de Bayeux.

Nota
O Governo da Paraíba vem a público externar seu pesar pela morte do sargento da Polícia Militar, Sandro Pereira da Silva, de 43 anos, que morreu na madrugada deste domingo (3) no Hospital de Emergência e Trauma de João Pessoa.

O militar comandava a guarnição que estava realizando buscas por acusados de assalto a ônibus quando foi atingido por disparos de arma de fogo. 

Logo após o ocorrido, Sandro Pereira foi socorrido para o Hospital de Emergência e Trauma Senador Humberto Lucena, na capital, onde recebeu atendimento imediato nas áreas de: oftalmologia, ortopedia, neurologia; vascular; intensivista e cirurgião torácico. O paciente fez todos os exames necessários e, em seguida, foi submetido a cirurgia nas áreas de ortopedia e torácica. Às 3h10 o sargento da polícia apresentou um quadro de choque neurogênico e não resistiu à gravidade dos ferimentos.

Em seguida ao acontecimento, a Polícia Militar da Paraíba empreendeu todos os esforços no intuito de capturar os envolvidos na ação que culminou na morte do sargento, obtendo êxito na prisão e apreensão dos partícipes e coautores do homicídio do policial. Durante a ação, foram presos Rodolfo Miranda da Silva, de 19 anos, e o pernambucano Gleyton Alexandre Pereira da Costa, de 20.

A sociedade paraibana perde um defensor da ordem pública que, na condição de policial militar, lutou contra a criminalidade, mesmo com o risco da própria vida.

O Governo do Estado se solidariza com os familiares, amigos, integrantes da corporação pela perda irreparável do sargento Sandro Pereira e repudia, veementemente, a exploração irresponsável de um episódio como esse, no qual grupos queiram se utilizar do sofrimento alheio, e de um fato tão trágico, para tirar proveito político.

Desde 2011, o Governo da Paraíba tem trabalhado no sentido de melhorar a infraestrutura das Forças de Segurança do Estado. A atual gestão foi a que mais investiu em equipamentos de segurança pública para as polícias.

Foram adquiridos armamentos, coletes, munição, viaturas, diferentes de outras épocas na qual as polícias iam para as ruas sem um equipamento mínimo de segurança, quando policiais participavam de ações com coletes vencidos e com munição contada.

Além de realização de novos concursos, também foram realizados concursos de promoção interna para policiais, além de bonificação para apreensão de armas e prêmios para os agentes que conseguirem reduzir a criminalidade nas suas áreas de atuação. O governo tem se esforçado cada vez mais no sentido de valorizar o nosso policial, consciente da importância de cada um deles na luta constante contra a criminalidade em nosso Estado.

Do G1 e Assessoria

DIÁRIO ESPORTIVO

Tudo sobre as novas contratações e a preparação dos times para o Campeonato Paraibano 2018

PSICOLOGIA NO AR

VÍDEO: Psicólogos debatem comportamento do ‘stalker’ nas redes sociais e quando o amor se torna obsessão

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Batista Independente

MARIA CALADO NA TV

Com muita irreverência, banda Gata Dengosa estoura a audiência no programa Maria Calado na TV; ASSISTA!