header top bar

section content

Homem é atingido por vários tiros de arma de fogo em Praça Pública de Cajazeiras

A polícia agiu rápido e prendeu um dos suspeitos no bairro São Francisco, Zona Sul de Cajazeiras Rogério Cristóvão da Silva, conhecido por Neném de Lola

Por

23/10/2015 às 10h00

Polícia Militar prendeu o acusado (Foto WhatsApp)

Uma tentativa de homicídio foi registrada nessa quinta-feira (22), na Praça do Conjunto Ronaldo Cunha Lima, Zona Norte de Cajazeiras. De acordo com a Polícia Militar, João Martins Galdino, 52 anos, conhecido por "João Pescador" estava sentado numa lanchonete quando dois homens chegaram em uma moto de cor preta chegaram e começaram a tirar.

A PM disse que a vítima correu para uma casa, mas os acusados o seguiram e efetuaram outros disparos. João Pescador foi socorrido para Hospital Regional de Cajazeiras. Já os acusados fugiram. O boletim do HRC informou que a vítima foi atingida com três perfurações nas regiões do ombro, costas e peito.

Veja mais!

Veja vídeo do jovem assassinado a tiros em Cajazeiras; Ele morreu dentro do pátio de cadeia feminina

►Mundo cão: Mãe e filho são assassinados de forma cruel dentro de casa em Cajazeiras

Acusados de assassinar filha de sargento da PM a pauladas são presos em Cajazeiras

A polícia agiu rápido e prendeu um dos suspeitos no bairro São Francisco, Zona Sul de Cajazeiras, Rogério Cristóvão da Silva, conhecido por Neném de Lola. Ele foi levado para delegacia, mas negou participação no crime.

As informações dão conta que João Pescador é acusado de matar a golpes de faca o irmão de Neném Lola há alguns anos.

DIÁRIO DO SERTÃO

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ALÍVIO

VÍDEO: Presidente da OAB de Cajazeiras afirma que a Comarca de Bonito de Santa Fé não será mais fechada

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa com a participação dos membros da Igreja Rei dos Reis

CADASTRAMENTO

VÍDEO: Prazo final para biometria na região de Catolé do Rocha é antecipado, e Justiça alerta eleitores