header top bar

section content

Delegada e comandante da PM falam sobre caso do militar que queria fazer sexo com crianças

As duas meninas já fizeram exame de corpo de delito na quarta-feira e agora a polícia espera os resultados. Assista aos vídeos aqui

Por

01/10/2015 às 13h02

A reportagem do Portal e TV Online Diário do Sertão entrevistou nesta quinta-feira (01) a delegada Yvna Cordeiro, que investiga o caso de um policial militar do 14º Batalhão da PM de Sousa, suspeito de tentar fazer sexo com uma adolescente de 16 anos e a irmã de seis anos.

De acordo com a delegada, o militar teria enviado mensagens para a namorada pedindo para que ela o ajudasse a fazer sexo com duas filhas dela, de 6 e 14 anos. Nas mensagens, o homem pede que a mulher dope as meninas para que ele pudesse ter relações sexuais com elas.

Leia também:

PM que pediu para transar com filha de 14 anos da amante é afastado e diz que queria acabar romance

Policial pede prova de amor para amante e diz: “quero transar com sua filha de 14 anos"

Ainda de acordo com a delegada, a jovem contou que pegou o celular da mãe minutos após o diálogo. "Ela disse que conseguiu interceptar o celular da mãe e viu tudo. Depois tirou um print screen da tela e mandou para uma amiga, por isso tomamos conhecimento do caso", explicou.

Além da adolescente, já foram ouvidas pela polícia o suspeito e familiares das meninas.  Nos próximos dias, a mãe das menores também deve prestar depoimento juntamente com a filha de seis anos sobre o caso.

As duas meninas já fizeram exame de corpo de delito na quarta-feira e agora a polícia espera os resultados. A mãe das duas ainda não foi encontrada pela polícia.

Policial foi afastado
Em entrevista ao Diário do Sertão, o major Rômulo Araújo, comandante do 14º Batalhão, falou que o PM suspeito foi afastado das funções até o fim das investigações. O major confirma que o militar teria realmente enviado as mensagens para a namorada.

“É um fato que chama atenção, pois, ele é um bom policial. Somos humanos, estamos sujeitos aos erros, e já que ele errou, agora vai responder pelo seu erro”, disse o major.

Outro lado
Em depoimento na delegacia, o policial confessou o pedido, mas afirmou que a intenção não era o ato sexual. Segundo a defesa do PM, era apenas um método para terminar o relacionamento com a mãe das crianças.

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula