header top bar

section content

Veja vídeo do sepultamento da escrivã de Polícia Civil de Cajazeiras

Faleceu neste sábado, a escrivã da Polícia Civil de Cajazeiras, Luciene Galdino de Sousa, no Hospital Santo Antônio na cidade de Barbalha.

Por

03/05/2015 às 19h00

 

Foi sepultado neste domingo (03), no cemitério Nossa Senhora da Conceição, em Cachoeiras dos Índios, o corpo da escrivã da Polícia Civil de Cajazeiras, Luciene Galdino de Sousa.

 

O corpo de Luciene foi velado em sua residência, na cidade de Cajazeiras após homenagem feita pelas polícias Militar e Civil, nesse sábado (02).  

 

Neste domingo foi celebrada missa de corpo presente na capela do Bairro dos Remédio e logo depois o funeral seguiu para Cachoeira dos Índios, onde amigos e familiares deram o último adeus a servidora pública.

Veja a reportagem completa da TV Diário do Sertão!

O funeral de Luciene Galdino foi marcado por homenagens, despedidas, choro e muita comoção.

As polícias Militar e Civil fizeram uma homenagem a escrivã, Luciene Galdino de Sousa, falecida nesse sábado (02). Após a chegada do corpo em Cajazeiras, o funeral percorreu as principais ruas da cidade.

Depois do percurso, o corpo de Lucilene foi levado à residência da funcionária pública, onde ficará até às 14:00 hosras deste domingo (03), quando sairá para o sepultamento na cidade de Cachoeira dos Índios. 

Faleceu nesse sábado (02), a escrivã da Polícia Civil de Cajazeiras, Luciene Galdino de Sousa, no Hospital Santo Antônio na cidade de Barbalha, Estado do Ceará.
O quadro clínico se agravou após complicações pulmonares e Luciene não resistiu indo a óbito.

Ela vinha lutando pela vida desde o dia 20 de Abril, quando foi internada em estado gravíssimo no HRC (Hospital Regional de Cajazeiras) onde foi diagnosticada com Pneumonia Química (Septicemia). Ao chegar no Ceará  o diagnostico foi fechado como síndrome rara de nome Guillian Barré. 

Luciene era casada com o agente da Polícia Civil Welisson, e deixa duas filhas. O corpo da servidora pública será transladado para Cajazeiras, onde será sepultado.

O que é?
A Síndrome de Guillain-Barré é uma doença rara na qual os nervos periféricos se deterioram. Estes nervos enviam mensagens do cérebro para os músculos, instruindo-os a se moverem e também levam sensações como: dor, prazer, gosto, etc., para o cérebro. 

O dano de um nervo causa freqüentemente fraqueza muscular (muitas vezes chegando a causar paralisia total), e pode causar anormalidades de sensação, inclusive dor, formigamento, sensação de “comichão na pele”, ou até desequilíbrio. 

ENTENDA O CASO
A escrivã da Polícia Civil de Cajazeiras, Luciene Galdino de Souza, internada em estado gravíssimo na UTI do Hospital Regional da cidade desde o dia 20 deste mês foi diagnosticada com pneumonia química (septecemia).

Familiares juntamente com a unidade de saúde buscaram transferência para um hospital especializado e encontravam vaga somente Hospital Santo Antonio, na cidade de Barbalha, Estado do Ceará, onde foi fechado o diagnóstico como síndrome rara de nome Guillian Barré.

O hospital cearense é particular e de acordo com a família, o tratamento é caro. Diante da situação usou as redes sociais para pedir ajuda financeira para cura da funcionária pública de Cajazeiras.

Veja mais:
► Luciene foi internada em Cajazeiras com suspeita de uma doença rara, passou por uma bateria de exames para descobrir o doença.

DIÁRIO DO SERTÃO

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares