header top bar

section content

Para evitar desperdício, açude de Sousa passa a ser vigiado pela Polícia Militar. Veja fotos!

O Açude de São Gonçalo está com poucos mais de 10% de sua capacidade, apresentando o nível mais baixo dos últimos dez anos.

Por

18/02/2015 às 10h36

Polícia começa vigiar açude de Sousa

O Comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar, Major Rômulo Ferreira de Araújo, em parceria com Departamento Nacional de Obras Contra a Seca (DNOCS), mediante requisição da Justiça Federal, oriunda do Juízo da 8ª Vara Federal da Subseção Judiciária de Sousa-PB, vem disponibilizando guarnições policiais militares para a realização de constantes fiscalizações no Açude de São Gonçalo, principal reservatório de abastecimento de Sousa e cidades circunvizinhas.

A principal atribuição da Polícia Militar, em parceria com o DNOCS, é coibir os desvios de água, através de motores elétricos instalados às margens daquele reservatório, no intuito de subtrair água para a irrigação de culturas agrícolas, na região do perímetro de São Gonçalo, bem como abastecer reservatórios ilegais. Segundo dados dos órgãos competentes, o Açude de São Gonçalo está com poucos mais de 10% de sua capacidade, apresentando o nível mais baixo dos últimos dez anos.

Atualmente, a cidade de Sousa passa por um colapso hídrico causado pelas estiagens (ausência de precipitação pluviométrica), dessa forma, os órgãos de fiscalização competentes, bem como a Polícia Militar, em nome do Comandante do 14º Batalhão de Polícia Militar, requer dos cidadãos que são abastecidos pelas águas daquele reservatório (Açude de São Gonçalo), que a economizem e evitem o desperdício.

DIÁRIO DO SERTÃO com Assessoria

Tags:
ALFINETOU

VÍDEO: Aliado do prefeito destaca asfaltamento de ruas de Cajazeiras e alfineta grupo de Carlos Antonio

REVELAÇÃO

VÍDEO: Emocionado, radialista fala de dificuldades na infância e revela que ‘amigo’ lhe ofereceu drogas

VEJA

VÍDEO: Gilvan de Andrade fala de experiência no Rádio em Cajazeiras e João Pessoa

VÍDEO

Padre anuncia reforma da paróquia São João Bosco de Cajazeiras a avalia atuação do bispo