header top bar

section content

Acusado de tráfico em Cajazeiras é transferido para presídio de segurança máxima

O presidiário estava em Cajazeiras e vai cumprirá sua pena no presídio Sílvio Porto, na cidade de João Pessoa. Confira aqui!

Por

04/02/2014 às 17h09

O presidiário Marcos Pereira da Silva, mais conhecido por “Marcos Aleijado” foi transferido nessa segunda-feira (03) do Presídio Regional de Cajazeiras.

Marcos cumprirá sua pena no presídio Sílvio Porto, na cidade de João Pessoa. 

O Cabo Sidney disse que foi necessário uma mega operação para realizar a escolta do presidiário, que é muito conhecido em toda região.

O diretor do presídio de Cajazeiras, Jailson Santos informou que a transferência foi a pedido do secretário de Estado. “Foi por medida de segurança”

   

Entenda
O Serviço de Inteligência do 6° BPM de Cajazeiras, P2, prendeu no início de janeiro deste ano, entre os municípios de Barbalha e Juazeiro do Norte, o acusado de se um dos maiores traficantes do Sertão da Paraíba, Marcos Pereira da Silva, 41 anos. 

Ele é conhecido como “Marcos Aleijado” e está foragido da justiça, já que existia mandado de prisão da Vara das Execuções Penais da Comarca local.

Várias viaturas acompanharam a chegada de Marcos Aleijado, capturado e o conduzindo até o Hospital Regional de Cajazeiras onde foi submetido a exame de corpo delito, logo após foi levado ao Presídio Regional ficando a disposição da Justiça local.

Segundo comandante do 6º BPM, Major Guedes a operação “Malhas da Lei”, teve o apoio da polícia militar do Ceará para prender o traficante. 

Veja vídeo da prisão!

DIÁRIO DO SERTÃO

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ALÍVIO

VÍDEO: Presidente da OAB de Cajazeiras afirma que a Comarca de Bonito de Santa Fé não será mais fechada

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa com a participação dos membros da Igreja Rei dos Reis

CADASTRAMENTO

VÍDEO: Prazo final para biometria na região de Catolé do Rocha é antecipado, e Justiça alerta eleitores