header top bar

section content

Senador Vital defende com especialistas projeto de combate à violência contra a mulher

Vital garantiu que dará toda agilidade para colocar em votação na CCJ, os projetos em pauta sobre o tema

Por

19/11/2013 às 07h36

Na manhã desta terça-feira (19), o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) reafirmou sua bandeira de luta em prol de programas de enfrentamento à violência contra a mulher e a autonomia feminina. Neste âmbito Vital na condição e presidente da Comissão de Constituição Justiça e Cidadania (CCJ) promove audiência pública para instruir o projeto de lei do Senado (PLS 292/13) que altera o Código Penal, para inserir o feminicídio como circunstância qualificadora do crime de homicídio.

Por recomendação de Vital, o de projeto de lei do Senado (PLS 292/2013) que introduz o “feminicídio” como ação qualificadora do crime de homicídio no Código Penal (Lei nº 2.848/1940) realizará uma audiência pública às 14h30, onde participarão a ministra da Justiça da Costa Rica, Ana Isabel Garita, a diretora-executiva da Cidadania, Estudo, Pesquisa, Informação e Ação, Leila Linhares Barsted; o procurador de Justiça Criminal de São Paulo Jorge Assaf Maluly; e o secretário de Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça, Flávio Crocce Caetano.

O “feminicídio” é definido como crime de homicídio resultante de violência contra a mulher e tem pena prevista de 12 a 30 anos de reclusão. O PLS 292/2013 estabelece quatro circunstâncias para sua caracterização: violência doméstica e familiar; violência sexual; mutilação ou desfiguração da vítima; emprego de tortura ou qualquer meio cruel ou degradante.

O substitutivo determina ainda que a pena por “feminicídio” não inviabiliza a aplicação de outras punições relativas a crimes conexos. Como o PLS 292/2013 enquadra a prática como homicídio qualificado, ela também será abrangida pela Lei nº 8.072/1990, conhecida como Lei dos Crimes Hediondos.

Vital garantiu que dará toda agilidade para colocar em votação na CCJ, os projetos em pauta sobre o tema, como o (PLS 292/2013) que define o crime de feminicídio como uma "forma extrema de violência de gênero que resulta na morte da mulher.

Autor do projeto de lei que define o crime de desaparecimento forçado (PLS 245/2011), Vital do Rêgo lembrou que a Lei Maria da Penha representou uma grande conquista das mulheres, mas precisa de ajuste visto o crescimento da violência registrado em todo o país. Ele argumentou que o seu projeto busca aumentar a efetividade da Lei Maria da Penha e manter o Brasil na "vanguarda do arcabouço legislativo" no enfrentamento da violência contra a mulher.

Da secom

PROCESSO DE MIGRAÇÃO

Diretor regional na Paraíba tira todas as dúvidas sobre abertura de novas contas dos servidores estaduais no Bradesco

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Sara Sheyla e Nelson Dantas

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview