header top bar

section content

Senador Vital defende com especialistas projeto de combate à violência contra a mulher

Vital garantiu que dará toda agilidade para colocar em votação na CCJ, os projetos em pauta sobre o tema

Por

19/11/2013 às 07h36

Na manhã desta terça-feira (19), o senador Vital do Rêgo (PMDB-PB) reafirmou sua bandeira de luta em prol de programas de enfrentamento à violência contra a mulher e a autonomia feminina. Neste âmbito Vital na condição e presidente da Comissão de Constituição Justiça e Cidadania (CCJ) promove audiência pública para instruir o projeto de lei do Senado (PLS 292/13) que altera o Código Penal, para inserir o feminicídio como circunstância qualificadora do crime de homicídio.

Por recomendação de Vital, o de projeto de lei do Senado (PLS 292/2013) que introduz o “feminicídio” como ação qualificadora do crime de homicídio no Código Penal (Lei nº 2.848/1940) realizará uma audiência pública às 14h30, onde participarão a ministra da Justiça da Costa Rica, Ana Isabel Garita, a diretora-executiva da Cidadania, Estudo, Pesquisa, Informação e Ação, Leila Linhares Barsted; o procurador de Justiça Criminal de São Paulo Jorge Assaf Maluly; e o secretário de Reforma do Judiciário do Ministério da Justiça, Flávio Crocce Caetano.

O “feminicídio” é definido como crime de homicídio resultante de violência contra a mulher e tem pena prevista de 12 a 30 anos de reclusão. O PLS 292/2013 estabelece quatro circunstâncias para sua caracterização: violência doméstica e familiar; violência sexual; mutilação ou desfiguração da vítima; emprego de tortura ou qualquer meio cruel ou degradante.

O substitutivo determina ainda que a pena por “feminicídio” não inviabiliza a aplicação de outras punições relativas a crimes conexos. Como o PLS 292/2013 enquadra a prática como homicídio qualificado, ela também será abrangida pela Lei nº 8.072/1990, conhecida como Lei dos Crimes Hediondos.

Vital garantiu que dará toda agilidade para colocar em votação na CCJ, os projetos em pauta sobre o tema, como o (PLS 292/2013) que define o crime de feminicídio como uma "forma extrema de violência de gênero que resulta na morte da mulher.

Autor do projeto de lei que define o crime de desaparecimento forçado (PLS 245/2011), Vital do Rêgo lembrou que a Lei Maria da Penha representou uma grande conquista das mulheres, mas precisa de ajuste visto o crescimento da violência registrado em todo o país. Ele argumentou que o seu projeto busca aumentar a efetividade da Lei Maria da Penha e manter o Brasil na "vanguarda do arcabouço legislativo" no enfrentamento da violência contra a mulher.

Da secom

Tags:
VÍDEO

Coordenador da Energisa garante melhoria e dá dicas sobre ‘queda’ de raios durante o período de inverno

ENTREVISTA

No Xeque-Mate, corretor avalia que Cajazeiras é melhor do que Sousa para investir no mercado imobiliário

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os membros da Associação dos ciclistas de Cajazeiras e região; Confira!

ADVERSÁRIOS ETERNOS

Breckenfeld diz que nunca será candidato a prefeito de São João nem aliado de Zé Aldemir: “Chance zero”