header top bar

section content

Homem tenta se passar por policial e é preso por porte ilegal de arma em cidade do Sertão

A prisão foi efetuada durante blitz na divisa da Paraíba com o Estado do Ceará

Por

23/12/2011 às 23h12

Uma blitz realizada na manhã dessa quinta-feira, 22, pela Polícia Militar de Conceição na divisa da Paraíba com o Ceará, prendeu em flagrante por porte ilegal de arma e falsidade ideológica o comerciante Luciano Ferreira de Jesus, 43 anos, casado, residente na Rua Fernandes Telis de Cartaxo, centro da cidade cearense de Mauriti.

A prisão se deu nas proximidades do sítio Lira, município conceiçoense, quando o acusado passou pelo local dirigindo um carro F-250, cor prata, placas NCK-6282, de Vilhena, Rondônia.

Após ser abordado pela blitz, o homem disse que era um policial civil do estado de São Paulo, mas a polícia descobriu que a documentação pessoal apresentada por ele era falsa. Ele também portava ilegalmente uma pistola PT.45, de uso restrito das Forças Armadas, sem número de registro nem identificação.

O veículo que ele dirigia também apresentava irregularidades. A polícia descobriu que a placa do carro é de São Paulo e não de Rondônia, o que evidencia a adulteração do veículo.

Conduzido para a delegacia de Conceição, o comerciante, que trabalha no setor de alimentos, foi autuado em flagrante pelo delegado Joáis Marques por porte ilegal de arma e falsidade ideológica, e, depois, foi recolhido à cadeia pública local.

Todos os objetos que estavam com o acusado, a arma, os documentos falsos e o carro foram apreendidos.

DIÁRIO DO SERTÃO 

Tags:

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula