header top bar

section content

Juiz da Comarca de Cajazeiras diz que diretora da cadeia não pode apoiar presas; ¨Isso é muito grave¨

Segundo o juiz Djacir Soares, todos os acontecimentos da cadeia feminina da cidade serão apurados, inclusive, o desacato a agente penitenciária. Áudio!

Por

14/10/2011 às 17h49

O juiz das execuções penais de Cajazeiras, Djacir Soares, disse nesta sexta-feira (14), que recebeu um relatório da “Operação Pente Fino”, realizada na cadeia feminina da cidade e vai tomar providencia quanto ao caso. “Estou com o relatório em mãos e vou tomar as providências”. Disse Djacir

Ele reafirmou que determinou a operação em sigilo devido há várias denúncias acerca de entrada de objetos que são proibidos no local.

“Não podia comunicar a diretora dessa operação e como juiz não posso fazer tudo com diretor”. Declarou

Desacato
Djacir confessou que foi informado de todos os acontecimentos ocorridos no local, antes e depois da operação, inclusive o fato de duas presas terem desacato a agente penitenciária.

“Pelo o que ouvi, a diretora ficou do lado das presas e isso é muito grave. Tem que ser apurado”. Frisou o juiz

TV´s e ventiladores
De acordo com Djacir, o uso de televisão na cadeia de Cajazeiras estava proibido, porém, o corregedor de justiça determinou que fosse liberado.
Ele informou ainda que as TV´s e os ventiladores, que foram retiradas da cadeia feminina foram devolvidos.

Ouça o áudio da entrevista na Arapuã FM

Entenda o caso
O Juiz das Execuções Penais da Comarca de Cajazeiras, Djacir soares, determinou nessa quinta- feira (13), uma operação chamada, Pente Fino, na Cadeia Pública da cidade de Cajazeiras.
Nessa operação, foram encontrados alguns objetos que são proibidos de adentrar em uma instituição penitenciária, bem como, facas, carregador de celular, estiletes e barra de ferros.

Segundo o Capitão Josélio, um desses objetos, bem como, o celular, subtende que existe algum meio de comunicação das presas com alguém de fora da cadeia.

Josélio afirmou ainda, que ao chegar na cadeia, houve uma resistência por parte da direção, porém, logo foi de limite pelo próprio juiz das execuções penais.

Ao iniciar a operação, as detentas, Geralda Maria de arruda, 30 anos, e Patrícia Barreto dos Santos, 20 anos, passaram a desacatar e ameaçar a agente penitenciaria Milena Pereira, 32 anos.

O desacato chegou ao ponto de tentar agredir a referida agente na presença da diretora do presídio, Graça Abreu, sendo necessária a intervenção dos Policias Militares, que participavam da revista, para que a agressão não acontecesse.

Após o ocorrido, as duas presidiárias foram conduzidas para a Delegacia de Policia.

E finalmente, a operação Pente Fino foi cumprida com êxito, e o material recolhido foi entregue a diretora.

Veja também:
Diretora do presídio de Cajazeiras repudia ação policial. “Eles danificaram sanitários e ventiladores”


DIÁRIO DO SERTÃO
 

EFEITO IMEDIATO

VÍDEO: Após protesto nas ruas, chefe da PM anuncia ações para combater o crime em São João do Rio do Peixe

AMIGO DE BRÁULIO BESSA

VÍDEO: Poeta que esteve no Encontro com Fátima Bernardes foi o convidado do Xeque-Mate da semana; VEJA!

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa: Em Continência ao Senhor Jesus com os membros da Igreja Pentecostal de Jerusalém

DIÁRIO ESPORTIVO

DIÁRIO ESPORTIVO: Tudo que rolou no Campeonato Brasileiro e os preparativos para o Paraibano