header top bar

section content

Deputado assegura que Carlos era parceiro de Justino e diz: “Até o século XXII ele não será mais nada”

José Aldemir disse que Carlos Antonio é condenado por improbidade e que não é cidadão, pois não tem direito de votar nem de ser votado.

Por Luzia de Sousa

17/02/2016 às 19h13 • atualizado em 18/02/2016 às 19h44

Deputado não responde ao ex-prefeito de Cajazeiras

O deputado José Aldemir (PEN) comentou nessa terça-feira (16), a reportagem do Fantástico da Rede Globo sobre a Operação Andaime deflagrada no ano passado pelo Ministério Público Federal da cidade de Sousa. Segundo o parlamentar, Cajazeiras nunca havia passado tanto vexame como agora, que é visitada constantemente pela Polícia Federal e mais recentemente pela mídia nacional.

De acordo com o deputado, o quadro Cadê o Dinheiro Que Estava Aqui constatou obras superfaturadas, licitações fraudulentas e uso de material e equipamentos da prefeitura para realizar obras licitadas no critério de fraude.

Perguntado sobre a alegação do ex-prefeito Carlos Antonio de que a prefeitura de Cajazeiras não está envolvida da Andaime, o deputado alfinetou: “É o direito de estribuchar”.

Segundo Zé Aldemir, o ex-prefeito demonstrou destempero e desequilíbrio quando “esculhambou com Justino que era seu parceiro”, adiantando que Carlos Antonio e sua esposa, a atual prefeita Denise Albuquerque posavam para fotos com o delator da operação, Francisco Justino.

“As fotos mostram a prefeita dando ordem de serviço a Justino. Contra fatos não há argumentos”, declarou o deputado assegurando que Justiça já condenou Carlos Antonio por improbidade e que atualmente ele não é cidadão, pois não tem direito de votar nem de ser votado.

“Até o século XXII ele não poderá ser candidato a mandato eletivo nenhum nem exercer cargo comissionado em qualquer instância da federação”, disparou o deputado.

Na entrevista à imprensa de Cajazeiras, Carlos Antonio teria tachado Francisco Justino de “bandido”. O construtor reagiu e pediu direito de resposta na mesma emissora.

Ouça entrevista de Zé Aldemir ao jornalista Antônio Malvino da Rádio Sanhauá!

Crime
Zé Aldemir informou que a exemplo dos oposicionistas, o jornalista Adjamilton Pereira (PMDB), dos vereadores Alysson Lira (Neguim do Mondrian-PDT) e Jucinério Félix (PPS), que procuram a delegacia de polícia e registraram uma denúncia dando conta da criação de um grupo na rede WhatsApp intitulado “Pois Zé Muda Cajazeiras”.

Denúncia_WhatsApp

Vereadores ao lado do advogado Adjamilton Pereira na delegacia prestando queixa sobre as mensagens falsas

Segundo os oposicionistas, o grupo foi criado depois da meia noite do domingo (14), com os quatro componentes e trocaram mensagens entre si durante a madrugada, que pressionaria Zé Aldemir a assumir a pré-candidatura a prefeito de Cajazeiras, além de passar a idéia que estariam escanteando o ex-deputado Vituriano de Abreu (PMDB).

O jornalista, o deputado e os vereadores asseguram que nunca participaram desse grupo na rede social e o caso também será investigado pela delegacia de crimes cibernéticos.

DIÁRIO DO SERTÃO

CASA NOVA

Locutor esportivo troca de emissora de rádio em Cajazeiras e revela mágoa: “Tomei uma pancada violenta”

NOVIDADES

VÍDEO: Novo padre da Paróquia São João Bosco confirma que pretende revitalizar a Praça Camilo de Holanda

AO VIVO NA TV

BOMBA! Ator cajazeirense revela que foi estuprado quando era coroinha de igreja: “Fui pra missa chorando” – ASSISTA!

TEM POTENCIAL

VÍDEO: Atleta cajazeirense pede ajuda pra realizar sonho de correr a São Silvestre; veja como patrocinar