header top bar

section content

Santiago contesta altos preços de combustíveis

Um verdadeiro apelo às autoridades brasileiras foi feito pelo Deputado e Vice-Líder do Governo, Wilson Santiago (PMDB/PB), na tarde desta terça-feira, 24, no plenário da Câmara Federal. O objetivo é sensibilizar a todos em relação ao preço da gasolina e dos demais produtos automotivos derivados do petróleo. O deputado citou a situação do Brasil que, […]

Por

25/03/2009 às 00h37

Um verdadeiro apelo às autoridades brasileiras foi feito pelo Deputado e Vice-Líder do Governo, Wilson Santiago (PMDB/PB), na tarde desta terça-feira, 24, no plenário da Câmara Federal. O objetivo é sensibilizar a todos em relação ao preço da gasolina e dos demais produtos automotivos derivados do petróleo.

O deputado citou a situação do Brasil que, hoje, tem o preço da gasolina 30% acima do praticado no mercado internacional. No diesel, a diferença é ainda maior: 38%. “O povo brasileiro paga a gasolina mais cara do mundo, quase três vezes o valor praticado nos Estados Unidos e mais do que o preço cotado na Europa se compararmos com os demais produtores de petróleo, o preço da nossa gasolina é quatro, cinco vezes maior”, declarou.

O preço da gasolina e do óleo diesel existe em função de uma commodity chamada barril de petróleo, cotado internacionalmente. “Acontece que a especulação do mercado mundial do petróleo não tem compromisso com o processo produtivo e ao bel-prazer dos especuladores, altera o preço do barril de acordo com os seus interesses”.

Santiago ressaltou ainda que o preço do barril do petróleo está agora a menos de 50 dólares, o que representa um terço do preço máximo atingido pelo barril e não houve uma real redução no preço do combustível. Por este motivo, o parlamentar questiona por que o preço do combustível, continua no mesmo patamar de antes da queda do preço do petróleo no mercado? “A posição confortável em que nosso petróleo nos situa justifica um retorno para o nosso povo em termos de barateamento do combustível fóssil. Contudo, o preço atual que o povo brasileiro paga pela gasolina e o óleo diesel foi definido quando o barril do petróleo estava entre 120 e 140 dólares. Portanto, o preço já deveria ter diminuído. Logo, temos condições de abaixar o preço do combustível e, dessa forma, gerar mais consumo e dinheiro para o nosso País. Todavia, infelizmente, os postos de gasolina continuam a comprar combustível caro”, alertou o Vice-Líder.

Inclusive, a Petrobrás tem sido devidamente capitalizada no mercado de ações, figura como uma das empresas mais rentáveis do mundo e obteve lucro líquido de mais de 10 bilhões de reais no terceiro trimestre de 2008, o que correspondente a uma alta de 96% sobre o mesmo período do ano anterior.

Diante de tais informações, o Deputado Federal Wilson Santiago finalizou reivindicando ações imediatas que transformem esta situação em benefício da economia e de toda a população do País. “A Petrobrás conseguiu inúmeras vantagens no preço do combustível durante o período em que o petróleo só subia de preço. Agora, é o momento de repor à sociedade brasileira uma redução no preço dos combustíveis, numa fase em que a nossa economia mais necessita de menos gastos para viabilizar os projetos necessários, a fim de evitar os déficits desse momento de crise”.

O deputado sugeriu a convocação do presidente da Petrobrás e autoridades da área para que se discuta um projeto viável de redução paulatina do preço do combustível derivado de petróleo, em benefício das necessidades do povo brasileiro.

Fonte: Assessoria

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares

ALÍVIO

VÍDEO: Presidente da OAB de Cajazeiras afirma que a Comarca de Bonito de Santa Fé não será mais fechada

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa com a participação dos membros da Igreja Rei dos Reis