header top bar

section content

MPF diz que empreiteiras criaram “força-tarefa a serviço da lavagem de dinheiro sujo” para Lula

onstrutoras investigadas doaram mais de R$ 20 milhões ao instituto do ex-presidente

Por Luzia de Sousa

04/03/2016 às 18h08

Lula dispara em primeiro lugar em Cajazeiras

As construtoras OAS, Odebrecht e a Usina São Francisco, de José Carlos Bumlai, formaram “um consórcio de empresas com fins escusos, em uma força-tarefa a serviço da lavagem de dinheiro sujo em favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva”. A afirmação consta no pedido de condução coercitiva de Lula feito pelo Ministério Público Federal à 13ª Vara Federal de Curitiba.

No trecho do documento que trata do sítio em Atibaia, os investigadores da Lava Jato afirmam que “a propriedade foi adquirida em favor de Luiz Inácio Lula da Silva e de sua família”.

“Na medida em que desde o início se pretendia ocultar a real propriedade do imóvel rural, a compra das duas propriedades rurais que compõem o sítio foi efetuada por intermédio de pessoas interpostas, sócios do filho de Luiz Inácio Lula da Silva, bastante próximos da família do ex-presidente: Jonas Leite Suassuna Filho e Fernando Bittar”, acrescenta o MPF.

R7

PARA A ETERNIDADE

VÍDEO: Programação de 70 anos do Atlético começa com exposição histórica que promete encantar Cajazeiras

ALFINETOU

VÍDEO: Aliado do prefeito destaca asfaltamento de ruas de Cajazeiras e alfineta grupo de Carlos Antonio

REVELAÇÃO

VÍDEO: Emocionado, radialista fala de dificuldades na infância e revela que ‘amigo’ lhe ofereceu drogas

VEJA

VÍDEO: Gilvan de Andrade fala de experiência no Rádio em Cajazeiras e João Pessoa