header top bar

section content

Grupos pró e contra impeachment combinaram de quem perder sair primeiro para evitar tumulto

Movimento de pessoas na área destinada aos protestos pró e contra impeachment da presidente Dilma Rousseff, lados que estão separados por um muro de metal, na Esplanada dos Ministérios, em frente ao Congresso Nacional, em Brasília

Por Campelo - Diário do Sertão em Sousa

17/04/2016 às 14h51

Brasília - 17/04/2016 (Bruno Spada/ Tripé Fotografia/VEJA.com)

Os grupos pró e contra impeachment combinaram com o governo do Distrito Federal de que o movimento que “perder” a votação do processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff se retirará primeiro, enquanto o vencedor só poderá sair depois do esvaziamento do outro lado. O esquema é parecido com o adotado em partidas de futebol, quando as torcidas visitantes esperam a da casa ir embora. A Polícia Civil também colocou agentes à paisana dos dois lados para circular pelos manifestantes e identificar possíveis infiltrados. “Nós temos o telefone deles. Se vermos alguma coisa estranha é só acioná-los. É o seguinte: Causou confusão vai preso, seja de que lado for”, afirmou Carla Zambelli, do movimento Nas Ruas.

Nesta manhã, o capitão Rander da PM acertava todos os detalhes da operação com as lideranças dos movimentos. “Que o lado melhor vença, somos todos Brasil”, dizia o PM a eles.

Eduardo Gonçalves de Brasília

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan