header top bar

section content

Mulher é flagrada mandando beijos para outro homem e marido a obriga andar nua pelas ruas. VEJA VÍDEO

Cenas em que um homem obriga sua esposa a andar pelada pelas ruas de Nova York causou revolta na internet

Por

20/01/2016 às 16h57

Cenas em que um homem obriga sua esposa a andar pelada pelas ruas de Nova York causou revolta na internet. Mulher foi submetida à humilhação por supostamente ter conversado, mandado beijos e fotos para outros homens, alegou o marido agressor.

Um homem filmou o momento em que obriga a esposa a caminhar nua pelas ruas de Nova York (EUA) e causou polêmica na internet. Nas imagens, a mulher aparece caminhando enrolada em uma toalha. Em seguida, o homem a chama de “vagabunda” por ter conversado, mandado beijos e fotos para outros homens.

Humilhação pública.

Em sua defesa, ela afirma que não fez sexo com nenhum deles, porém o marido decide expor a mulher. “Tire a sua toalha e pague o preço pela vergonha que eu senti”, diz ele momentos antes de deixar a moça totalmente nua e desnorteada com a situação. “Você vai pagar o preço como uma prostituta”, acrescenta.

Críticas.

Publicado na internet, o vídeo rendeu críticas ao homem. “Talvez isso seja apenas uma dica do porquê ela está falando com outros homens”, escreveu um usuário. “Eu não sei o que ela fez e eu não me importo. Ninguém merece ser humilhado assim”, disse outro. Após caminhar alguns metros, ela corre e tenta se esconder com o pano que cobre uma moto. Não há informações sobre os nomes dos envolvidos nem se a polícia foi notificada sobre o caso.

Do Polêmica Paraíba
 

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com o Ministério de Louvor: Fonte de água da vida

SAÚDE MENTAL

VÍDEO: “Psicologia no Ar” reestreia na TV debatendo as dúvidas e estereótipos que os psicólogos carregam

ENTREVISTA

VÍDEO: Com demonstrações ao vivo, fisioterapeuta cajazeirense explica como funciona a Quiropraxia

VÍDEO!

CONTRA MÃO: Aliado do prefeito de Cajazeiras critica políticos de Brasília, mas admite votar em “golpista”