header top bar

section content

Travestis e transexuais poderão usar banheiro que se identificam em ambiente de trabalho

Funcionários também passam a ter nome social reconhecido em cadastros, e-mails e crachás em todas as unidades do Ministério Público do Trabalho no Brasil

Por

04/12/2015 às 07h00

Ronaldo Fleury: A primeira barreira, que é a do preconceito, está sendo superada (Foto: Getty)

Uma portaria publicada essa semana por Ronaldo Fleury, procurador-geral do Trabalho, regulamenta o uso do nome social por travestis e transexuais, ou todos aqueles que não se identificam com sua identidade de gênero, em todas as unidades do Ministério Público do Trabalho no Brasil. A medida deve ser aplicada em 90 dias.

"Nós precisamos enfrentar essas questões da mesma forma que enfrentamos, nos anos 1990, quando começamos a fazer todo o projeto de inserção das pessoas com deficiência”, afirma o procurador-geral.

Funcionários também utilizarão o nome escolhido em cadastro de dados, e-mails institucionais, crachás e listas de ramais. O artigo 4º da portaria especifica que o uso do banheiro e vestiários devem ser de acordo com o gênero que cada pessoa se identifica.

“Ainda há outras barreiras a vencer? Há. Mas a primeira barreira, que é a do preconceito, está sendo superada", afirmou Ronaldo Fleury.

Ele espera que o MTP sirva de exemplo para outras instituições. “Esperamos que os outros órgãos vejam isso como algo positivo, que trará inclusão, e que possam efetivamente replicar as medidas previstas nesta portaria”, acrescentou.

IG

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan