header top bar

section content

“Tuberculose divide liderança com AIDS como maior responsável por mortes”. Mata mais homens!

Por ano, são 9,6 milhões de novos casos de tuberculose no mundo. O Brasil continua entre os 22 países considerados de "alta incidência" da doença. Em 2014, 81 mil novos casos foram detectados

Por

01/11/2015 às 21h04

Casos de tuberculose em Cajazeiras.

Dados divulgados pela Organização Mundial da Saúde (OMS) nesta quinta-feira, 29, apontam que a mortalidade da tuberculose foi reduzida pela metade desde 1990, mas, ainda assim, a doença faz 1,5 milhão de vítimas por ano. Em 2014, a aids matou 1,2 milhão de pessoas. "A tuberculose agora divide a liderança do ranking com o HIV como os maiores responsáveis por mortes no mundo", indicou a OMS. No ano passado, a tuberculose matou 890 mil homens, 480 mil mulheres e 140 mil crianças. Dessas 1,5 milhão de vítimas, 400 mil haviam sido infectadas pela aids.

Por ano, 9,6 milhões de novos casos de tuberculose são registrados – 54% deles estão na China, Índia, Indonésia, Nigéria e Paquistão. O Brasil, apesar dos avanços, continua entre os 22 países considerados de "alta incidência" da doença. Em 2014, 81 mil novos casos foram detectados.

A OMS admite que novos remédios, tecnologia para o diagnóstico e uma maior atenção dos governos conseguiram salvar 43 milhões de vidas entre 2000 e 2015. Por ano, a incidência da tuberculose foi reduzida em 1,5%, para uma queda total neste período de 18%.

Mas a entidade alertou que o mundo precisa de mais investimentos no setor e focar no desenvolvimento de uma vacina. "Existem avanços. Mas, se o mundo quer colocar um fim a essa epidemia, ele precisa investir em pesquisa e aumentar os serviços", declarou a diretora-geral da OMS, Margaret Chan.

"O progresso ainda não é suficiente", alertou o diretor do programa da OMS contra a doença, Mario Raviglione. "Ainda temos 4 mil pessoas que morrem por dia, e isso é inaceitável em uma era em que podemos curar e diagnosticar cada pessoa com aids no mundo."

Detectar

Um dos maiores desafios, segundo a OMS, é detectar todos os casos de tuberculose. Da estimativa de 9,6 milhões de pessoas que teriam sido infectadas em 2014, apenas 6 milhões foram informadas às autoridades nacionais. Isso significa que, pelo mundo, 37% dos casos não são diagnosticados ou não foram informados ao sistema de saúde. "A qualidade do tratamento para essas pessoas é desconhecido", alertou a OMS. Outro problema é ainda a falta de tratamento para todos os infectados.

Para a entidade, porém, não se trata de falta de produtos. O maior desafio é financeiro. "O déficit nos recursos é o maior obstáculo", disse Winnie Mpanju-Shumbusho, especialista da OMS para doenças negligenciadas.

O buraco nas contas chega a US$ 1,4 bilhão, de um total de US$ 8 bilhões necessários para implementar uma estratégia para frear a doença. No lado da pesquisa, o déficit é de mais US$ 1,3 bilhão. Ainda assim, a partir de 2016, a OMS vai estabelecer como sua prioridade um programa para erradicar a tuberculose até 2030 e cortar as mortes em 90%.

Para Grania Brigden, da entidade Médicos Sem Fronteiras, há ainda um outro desafio a ser superado se a comunidade internacional quiser atingir a marca: a resistência da doença ao tratamento. "Esses dados devem servir como um alerta", defendeu.

R7

CACHOEIRA DOS ÍNDIOS

VÍDEO: Ex-prefeito rompe o silêncio, fala de derrota e lamenta promessa não cumprida de atual gestor

ENTREVISTA

VÍDEO: Do vício em jogo à fama, ‘Rei das Tapiocas’ de Cajazeiras conta trajetória no programa Xeque-Mate

MARIA CALADO NA TV

Programa Maria calado na TV recebe os Quentes da Pegada da cidade de São João do Rio do Peixe

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan