header top bar

section content

Médica leva uma surra e fica deformada após discussão com paciente; Veja

Médica relata agressão dentro de pronto socorro após discussão com filha de paciente

Por

29/05/2015 às 07h35

A médica Maria Cristina Porto teria sido agredida após se recusar a prescrever um remédio (Facebo

Uma consulta médica terminou em confusão no Pronto Socorro Municipal de Itapevi, na Grande São Paulo. Na última segunda-feira, a médica Maria Cristina Bueno Porto, de 56 anos, foi agredida dentro de um dos consultórios da unidade após se desentender com a filha de uma paciente. 

— Eu estava atendendo no pronto socorro e no retorno de uma consulta entrou uma paciente, acompanhada da filha. Ela havia sido medicada para dores abdominais. Eu estava assinando a liberação dela quando a filha, no meio da conversa, disse ‘Então, já faz logo a receita dela de medicação da pressão’. Eu expliquei que esse tipo de procedimento era no Posto de Saúde e não na emergência. A mãe entendeu e chegou a concordar comigo. Mas a filha insistiu, dizendo que eu 'tinha mais que fazer mesmo’, de forma grosseira e bastante hostil. Eu expliquei novamente a ela que o procedimento não poderia ser feito na emergência, mas ela insistia. — contou Maria Cristina, por telefone.

Segundo a médica, as agressões teriam começado verbalmente, após a médica repetir que não poderia prescrever o medicamento usado pela idosa:

— Então, ela me chamou de ignorante. Eu pedi que ela aguardasse do lado de fora do consultório e ela disse que não iria sair, mas a mãe mandou que ela saísse. Quando ela insistiu que não ia sair [do consultório], eu disse que não daria sequencia ao atendimento e não atenderia mais ninguém. Alguns pacientes, que estavam do lado de fora, reclamaram. Então, eu levantei e pedi novamente para ela sair. Quando ela saiu, a idosa chegou a dizer que a filha sempre causava confusão.

Ainda segundo Maria Cristina, as agressões físicas começaram após a saída da idosa. A filha, então, voltou ao consultório:

— Quando a paciente abriu a porta para ir embora, a mulher invadiu meu consultório, me chamando novamente de ignorante. Pegou um frasco de chá, que estava em cima da mesa, e jogou com tudo em cima de mim, junto com alguns papéis. Eu levantei me defendendo. Então, ela enfiou a mão no meu rosto produzindo os ferimentos. — relatou a médica.

A médica acionou os policias de plantão na unidade e as duas foram encaminhadas para a Delegacia de Polícia Dr. João Roberto Costa. A Polícia Civil de São Paulo informou que o caso está sendo investigado e que aguarda os laudos dos exames de corpo de delito para encaminhar à justiça.

A Prefeitura de Itapevi informou, em nota, que “repudia qualquer manifestação de violência e está tomando todas as medidas cabíveis”. Uma averiguação preliminar será aberta para apurar as informações e diagnosticar os “elementos que culminaram com o evento”.
A suposta agressora não foi localizada para comentar a situação.

Extra

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa com a participação dos membros da Igreja Rei dos Reis

CADASTRAMENTO

VÍDEO: Prazo final para biometria na região de Catolé do Rocha é antecipado, e Justiça alerta eleitores

MITO DA INTERNET

VÍDEO: Fenômeno Gleyfy Brauly bate recorde de audiência no Xeque-Mate e canta sucessos no ‘imbromation’

CALDEIRÃO POLÍTICO

VÍDEO: Aliado releva que dois vereadores de oposição estão rasgando elogios ao prefeito Airton Pires