header top bar

section content

“Musa da Manifestação” faz ensaio sensual durante protesto na avenida Paulista

As manifestações contra o governo federal e a corrupção no País atingem cidades em mais de 20 estados e o Distrito Federal neste domingo (12).

Por

12/04/2015 às 18h40

Na tarde deste domingo (12), a modelo Ju Isen, que se auto-intitula "Musa da Manifestação", aproveitou o protesto na Avenida Paulista, em São Paulo, para fazer fotos para a revista masculina Sexy, da qual será capa e recheio na edição de julho. Durante o ensaio, a mulher foi detida pela Polícia Militar perto da alameda Casa Branca e levada ao 78º Distrito Policial

Pra Valer
As manifestações contra o governo federal e a corrupção no País atingem cidades em mais de 20 estados e o Distrito Federal neste domingo (12). Além do DF, há registros de protestos em São Paulo, Alagoas, Santa Catarina, Acre, Minas Gerais, Bahia, Amazonas, Espírito Santo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Maranhão, Ceará, Rio Grande do Sul, Goiás, Paraíba, Pará, Rio de Janeiro, Rio Grande do Norte, Rio Grande do Sul, Sergipe e Pernambuco e Tocantins.          

Não existe ainda um número consolidado de participantes, mas, por enquanto, o movimento é mais tímido que o registrado em 15 de março, quando cerca de 1,6 milhão de pessoas foram às ruas do País. 

Em Brasília, aproximadamente 25 mil pessoas foram à Esplanada dos Ministérios, de acordo com a PM (Polícia Militar). O número, porém, é bem menor que os cerca de 50 mil pessoas que protestaram no dia 15 de março. No início da tarde, a multidão já começava a se dispersar. 

Em São Paulo (SP), cerca de 275 mil manifestantes, de acordo com a PM, se concentraram na região da Avenida Paulista a partir do fim da manhã. Os policiais fizeram um cordão de isolamento em frente ao Masp, tradicional ponto de encontro para manifestações. Vestidos com as cores da bandeira brasileira, os manifestantes estenderam faixas e gritaram contra o governo e a corrupção.

Em Belo Horizonte (MG), pouco mais de 5.000 pessoas se reuniram na Praça da Liberdade, no centro da capital mineira, segundo a PM. Os organizadores contabilizaram 15 mil pessoas. No dia 15 de março, aproximadamente 25 mil pessoas foram às ruas de BH, segundo a PM.

No Rio de Janeiro (RJ), o segundo protesto do ano contra o governo e a corrupção também atraiu menos pessoas que em 15 de março. Os organizadores estimaram o público em 3.000 pessoas, contra 500 da PM no ato que aconteceuna Avenida Atlântica, em Ipanema.

Em Salvador (BA), cerca de 2.000 manifestantes se concentraram na orla da Barra e caminharam até o Cristo. A PM informou que não houve ocorrências e o protesto ocorreu de forma pacífica.

Em Porto Alegre (RS), manifestantes começaram na avenida Goethe o protesto contra a presidente vestindo camisetas do Brasil e carregando bandeiras. O público foi bem menor do que o registrado na última manifestação. Dois caminhões de som acompanharam os manifestantes e um pequeno grupo carregou cartazes e faixas para defender uma interveção militar no País. 

No cruzamento das ruas República e Lima e Silva, no bairro Cidade Baixa, um movimento auto-intitulado Coxinhaço se manifestou a favor do governo Dilma com samba e algumas bandeiras do PT, além de cartazes defendendo a democracia e contra regimes autoritários. 

Em Vitória (ES), o público ficou abaixo do esperado na Praça do Papa em Vitória. Segundo a Guarda Municipal, apenas 500 manifestantes compareceram ao protesto.  

Em Curitiba (PR), cerca de 8 mil se reuniram  em frente à Praça Santos Andrade. Em Foz do Iguaçu e outras 23 cidades do Paraná também tiveram protestos.

Em Goiânia (GO) e cidades do interior do estado, 2.500 manifestantes participaram dos protestos, segundo PM, com a presença maciça de integrantes de diferentes lojas maçônicas liderando manifestações. Vestindo ternos pretos e outros trajes típicos das cerimônias maçons eles lideraram protestos contra a corrupção e o governo Dilma Roussef Catalão, Anápolis, Jataí e Rio Verde também tiveram atos, todos com 200 pessoas, no máximo, segundo a PM em cada cidade.

Os próprios organizadores admitiram que o número de pessoas mobilizadas em Goiânia foi menor do que no protesto de 15 de março, mas eles não se entenderam quanto à estimativa. A Polícia Militar estimou em 2.500 pessoas mobilizadas no ponto alto do protesto deste domingo, enquanto os organizadores falaram em 5 mil, 20 mil e até 50 mil manifestantes. No dia 15 de março, houve estimativa variando entre 25 mil até 60 mil pessoas no protesto em Goiânia. 

A maior parte do público compareceu vestida de verde e amarelo e muitos se cobriam com a bandeira nacional. A maioria das faixas pedia a saída da presidente Dilma, defendendo o impeachment dela ou citando o escândalo na Petrobras.

Em Santa Catarina (SC), produtores rurais foram às ruas com tratores para protestar contra o governo Dilma. Três motociclistas que participavam do protesto contra o governo federal em Balneário Camboriú foram atropelados, mas tiveram apenas ferimentos leves.

A condutora não prestou socorro às vítimas, fugiu do local do acidente e resistiu à ordem de prisão. Na Praça da Bandeira e arredores, região central de Joinville, norte do Estado, cerca de três mil pessoas se reuniram segundo os organizadores do Movimento Brasil Livre (MBL).Em outras seis cidades catarinenses houve manifestações: Lages, Chapecó, Timbó, Palmitos, São Francisco do Sul e Pomerode concentraram 3.190 pessoas, de acordo com a Polícia Militar. Nenhum incidente foi registrado nestes locais. 

R7 com foto: Ag News

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares

ALÍVIO

VÍDEO: Presidente da OAB de Cajazeiras afirma que a Comarca de Bonito de Santa Fé não será mais fechada