header top bar

section content

Vital revela que 57 % das obras de transposição do Rio São Francisco está concluída

A declaração do senador foi feita durante  mais uma audiência pública, realizada pela Comissão criada  no Senado para acompanhar o projeto do governo federal. Presidida por  Vital do Rêgo, a comissão tem se destacado por realizar visitas no canteiro de obras da transposição, bem como, as chamadas audiências públicas para debater no projeto. Na audiência […]

Por

06/05/2014 às 17h29

A declaração do senador foi feita durante  mais uma audiência pública, realizada pela Comissão criada  no Senado para acompanhar o projeto do
governo federal. Presidida por  Vital do Rêgo, a comissão tem se destacado por realizar visitas no canteiro de obras da transposição,
bem como, as chamadas audiências públicas para debater no projeto.

Na audiência desta terça-feira, o ministro da Integração Nacional Francisco Teixeira, garantiu que as obras engrenaram e deverão ser concluídas até 2015. Com base nas visitas feitas pela comissão, e, principalmente, a partir dos dados apresentados pelo ministro, Vital do Rêgo afirmou que 75% das obras do Projeto de Integração do rio serão concluídos até dezembro. Segundo o governo, 57,8% do total previsto já estão concluídos, um avanço de 2% de março a abril.

O balanço das obras de transposição do rio São Francisco deixou Vital do Rêgo animado em ver o sonho de 12 milhões de nordestinos, virar realidade. Segundo o Ministério da Integração Nacional, mais de 10 mil funcionários trabalham atualmente nas obras que incluem recuperação de 23 açudes, construção de 27 reservatórios, além de nove estações de bombeamento, 14 aquedutos e quatro túneis exclusivos para a passagem
de água.

“ Percebemos que o governo está  trabalhando dia e noite no Eixo Norte e acreditamos que vai começar a trabalhar em maio dia e noite no Eixo
Leste, porque essa obra vai amenizar o sofrimento que a população está vivendo em decorrência da seca” observou Vital.

Para o senador Vital do Rêgo  é preciso divulgar de forma mais clara os avanços das obras para a população. Ele pediu que o colegiado tenha
acesso em tempo real aos dados.

– Estamos em uma missão de guerra pela água. Nossa guerra ainda não está vencida, mas quando vejo a apresentação do ministro me sinto
vitorioso. Lamento muito que meus irmãos paraibanos não tenham conhecimento dos 57 % da obra concluída – ponderou o parlamentar
paraibano.

Recentemente representantes da Controladoria Geral da União (CGU) e do Tribunal de Contas da União (TCU), que têm acompanhado o andamento das obras, elogiaram ajustes promovidos no projeto original e melhorias na gestão e na fiscalização. Para a secretária de Fiscalização de Obras
do TCU, Juliana Pontes Monteiro de Carvalho, as obras atingem atualmente seu ápice de execução.

Orçado em cerca de R$ 8 bilhões, o projeto, iniciado em 2007,contempla 477 quilômetros de canais (mais do que a distância entre Rio de Janeiro e São Paulo), formando os eixos Norte, que vai de Cabrobó (PE) a Cajazeiras (PB), e Leste, com início em Floresta (PE) e término em Monteiro (PB) que conduzirão a água no semiárido nordestino. Com 28% da população brasileira, o Nordeste tem apenas 3% da disponibilidade de água e uma irregularidade na distribuição de recursos hídricos.

Dos 16 lotes de obras, que compõe as Metas, dois já estão concluídos: o Canal de Aproximação do Eixo Norte e Leste.
Atualmente, estão em atividades 14 lotes: Lote 1, em Cabrobó (PE); 2,3 e 8, em Salgueiro (PE); Lote 4, em Verdejante (PE); Lote 5, em Brejo
Santo (CE); Lote 6, em Mauriti (CE); Lote 7, em São José de Piranhas (PB); Lotes 9 e 13, em Floresta (PE); Lotes 10 e 11, em Custódia (PE);
12, em Sertânia (PE); e 14, em São José de Piranhas (PB).

Segundo o Ministério, as obras do Eixo Norte funcionam 24 horas por dia: em Salgueiro (PE), em Cabrobó (PE), em Jati (CE), em Mauriti
(CE), em Brejo Santo (CE) e em São José de Piranhas (PB).

O projeto de integração do rio São Francisco vai garantir a segurança hídrica para 390 municípios nos estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará
e Rio Grande do Norte. A região abriga 28% da população brasileira, enquanto dispõe apenas de 3% do volume nacional de água, o que aponta
grande irregularidade na distribuição de recursos hídricos. Até fevereiro, o projeto apresentava 55,5% de execução física. No mês, as obras haviam totalizado R$ 4,56 bilhões em valores executados, do total de R$ 8,2 bilhões estimados para a conclusão da obra.

O presidente da comissão avalia que o andamento das obras voltou a atender o cronograma estabelecido pelo Governo Federal. Ele avaliou
como proveitosa a audiência desta terça-feira.  “Foi uma audiência esclarecedora. As obras já estão voltando a ritmo que nós esperamos.

Apenas dois trechos precisam de uma atenção especial. Eu estou com muito cuidado com o trecho da Paraíba por conta do atraso que houve”
disse Vital do Rêgo.

Da secom

Tags:

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula