header top bar

section content

Oposição questiona o preço das refeições servidas nas Cozinhas Comunitárias

Na Sessão Ordinária desta quarta-feira 22, da Casa de “Avelino Queiroga Cavalcante”, os vereadores da bancada de oposição voltaram a questionar o valor cobrado nas Cozinhas Comunitárias referentes as refeição servidas. Segundo o vereador Beto Xau (PMDB), o preço do almoço é muito caro, pois de acordo com o parlamentar em Campina Grande a refeição […]

Por

23/04/2009 às 14h26

Na Sessão Ordinária desta quarta-feira 22, da Casa de “Avelino Queiroga Cavalcante”, os vereadores da bancada de oposição voltaram a questionar o valor cobrado nas Cozinhas Comunitárias referentes as refeição servidas. Segundo o vereador Beto Xau (PMDB), o preço do almoço é muito caro, pois de acordo com o parlamentar em Campina Grande a refeição custa R$ 1,00 (hum real) e na cidade de Pombal o valor é o dobro do cobrado em Campina Grande.

As Cozinhas Comunitárias foram fechadas no dia 13 de novembro do ano passado, pelo então prefeito Ugo Ugulino (PMDB), sendo reabertas na gestão Pollyanna Feitosa (PT), no último dia 07, o motivo pelo qual as cozinhas foram fechadas, não foi mencionado pelo vereador da bancada de oposição, que questionou perguntando “porque que Campina Grande consegue fornecer um almoço a R$ 1,00 (hum real) e Pombal só consegue a R$ 2,00 (dois reais), falou Beto Xau.

O vereador disse ainda que não entedia o aumento de 100% no valor das refeições, e que a alegação era que teria tido um aumento no valor do gênero alimentício, atacando o vereador disse “o que pode ter aumentado em 100% é a competência do pessoal que está administrando a Prefeitura, tem tanto assessor competente na Prefeitura, que juntou-se não sei quantos lá pra fazer o estudo da cozinha, qual foi a conclusão que chegaram, que tinha que aumentar em 100% o preço, isso é que competência”.

Ataque
Continuando o ataque o peemedebista falou que quem está na Prefeitura só está lá porque puxa o saco da prefeita, “o critério lá é o puxa saquismo, quanto mais puxar o saco da prefeita maior é o cargo”, alfinetou Beto Xau, que ainda chamou a atual administração de ridícula.

Em resposta o vereador Pedro Celestino (PT), relembrou ao peemedebista de como foi entregue a gestão, segundo Celestino “não é super preocupante vereador Beto Xau, quando nós começamos ha três, quatro meses atrás, estávamos recebendo a Casa [Cidade], por sinal muito mal arrumada, nós recebemos a Casa com as plantações mortas, não era na periferia não, é de frente ao Banco do Brasil, da Praça Getúlio Vargas, em redor do Bar Centenário nosso cartão de visitas”.

Durante o pronunciamento o vereador petista falou do caso das cozinhas comunitárias, dizendo que inclusive o líder do governo o vereador Marcos Bandeira teria dito onde botou quebrou, quebra com R$ 1,00 e com R$ 2,00. “tornou viável, quando eu digo que é viável é porque é muito bom ainda, para aquele que vai usar a R$ 2,00 perante a qualidade”, ressaltou Celestino.

“A viabilidade é pela procura, é pela qualidade e lá está aberto pra quem quiser conhecer e julgar”, frisou Pedro Celestino, que foi alfinetado em seguida por Beto Xau, que disse “o que se gasta em Pombal pra almoçar em Campina Grande você almoça, janta e toma café, então era bom que os assessores da Prefeitura da Social fossem a Campina e perguntar qual é o pulo do gato, qual é o segredo, qual é o mistério que Campina Grande consegue alimentar uma pessoa o dia inteiro e Pombal só conseguem o almoço”.

Declaração
O vereador Beto Xau durante o “ataque” acabou confessando que a prefeita encontrou a casa bagunçada, “pode ter achado a casa desarrumada, mais bem clara”, disse Beto Xau, confirmando que a cidade foi entregue de maneira desorganizada.

O assunto cozinhas comunitárias parece ser o grande projeto dos vereadores que fazem a bancada de oposição, entra semana, sai semana e o disco é o mesmo, está 16ª Legislatura é uma das mais acirradas na Casa de “Avelino Queiroga Cavalcante”.

HENIO WANDERLEY
Da redação do Diário do Sertão
Pombal

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares