Cidades
18/10/2016 às 13h11 • atualizado em 18/10/2016 às 14h45

postado por: Estagiário

Vídeo: Globo destaca tragédia familiar em Cajazeiras; Um morreu e outro foi preso

A briga entre dois irmãos que terminou na morte de um deles, foi destaque em toda a imprensa do estado.

A briga entre dois irmãos que terminou na morte de um deles em Cajazeiras, no último domingo (16), foi destaque em toda a imprensa do Estado. A população ainda está chocada com a morte de Jhonata da Silva, 29 anos, pelas mãos do próprio irmão, Ginicleudo da Silva, de 34 anos, que já está preso e confessou o crime.

Acusado Ginicleudo Ferreira da Silva

Uma reportagem exibida nesta segunda-feira (17) pela TV Paraíba traz um dado novo sobre a possível motivação da briga que terminou em tragédia. Segundo familiares, os irmãos viviam brigando porque o mais velho tinha inveja do tratamento que o mais novo recebia da avó de 84 anos com quem eles moravam.

“Os familiares disseram que a vítima era mais bem cuidada pela avó, então havia uma desavença que surgiu desse ciúme, dessa inveja”, relatou o delegado Braz Morroni.

No entanto, em entrevista à TV Diário do Sertão minutos depois de ser preso, Ginicleudo alega que a briga aconteceu porque seu irmão queria consumir drogas em casa. Segundo ele, Jhonata era viciado em crack e por isso sempre causava transtornos à família.

Vítima Jhonata da Silva

“Isso já vem de coisa antiga. Ele era viciado, tinha umas besteiras de fumar e querer me agredir direto. Como ele já tinha batido em mim junto com meu tio, então ele falou ontem que ia me bater e puxar para o meio da rua”, contou o acusado.

Ele também afirma que seu irmão já tentou matá-lo e que se arrepende do que fez. “Não queria que tivesse chegado a esse limite.”

Segundo informações da polícia, os dois irmãos tinham acabado de chegar em casa quando começaram a brigar na cozinha. Foi nesse momento que o acusado pegou uma faca e acabou desferindo golpes no irmão. O jovem morreu no local. A avó presenciou toda a cena.

Após cometer o crime, Ginicleudo fugiu. Mas na manhã seguinte acabou sendo preso pela polícia em um matagal onde se escondeu após lavar as mãos e os pés sujos de sangue em uma borracharia.

DIÁRIO DO SERTÃO 

Deixe seu comentário