Cidades
16/11/2016 às 14h53 • atualizado em 17/11/2016 às 09h30

postado por: Jocivan Pinheiro

Mãe do garoto Felipe relembra emocionada os dias de luta pela vida do filho; Velório e sepultamento comoveram a todos – Veja as fotos e vídeo!

José Felipe Abreu, 14 anos, faleceu na segunda-feira (14) após passar quase seis meses internado no Hospital Arlinda Marques

Foi sepultado na manhã desta quarta-feira (16), o adolescente José Felipe Abreu, 14 anos, que faleceu na segunda-feira (14) após passar quase seis meses internado no Hospital Arlinda Marques, em João Pessoa.

Fabiana Abreu, mãe de José Felipe

Fabiana Abreu, mãe de José Felipe

José Felipe tinha paralisia cerebral e seu estado de saúde piorou quando ele foi acometido por Chikungunya.

A doença chegou a causar um ataque convulsivo no garoto, que sofreu uma queda e fraturou um fêmur.

Daí em diante seu estado de saúde só se agravou, e ele teve que ficar internado na UTI, até que foi a óbito no começo da semana.

O corpo foi transladado para Cajazeiras e velado na residência da família, na Avenida Aprígio Nogueira, Bairro das Capoeiras. O número de pessoas visitando o local foi intenso.

VEJA TAMBÉM: Adolescente de Cajazeiras morre em João Pessoa após mais de 150 dias internado

Amigos e parentes choram a morte de José Felipe

Amigos e parentes choram a morte de José Felipe

Emocionada, a dona de casa Fabiana Abreu, mãe do adolescente, relembrou os dias de luta pela vida do filho.

“Acompanhei todo o sofrimento dele de perto, desde o dia em que ele chegou lá [no hospital] até o dia da sua partida. É muito doloroso falar porque eu só podia entrar pra visitar, porque ele se encontrava no leito da UTI e não permitiam a minha entrada. Eu, como mãe, não pude ficar com ele o tempo todo, eu só tinha disponível uma hora pra ele, e essa hora era a hora que eu rezava muito pra chegar. Aquela hora que eu passava do lado dele era só pra transmitir amor, carinho, ternura. Eu estava sentindo muita dor, mas na frente dele eu tinha que me fazer de rocha.”

Apesar dos momentos de angústia e dor, Fabiana ressalta que José Felipe também proporcionou muita alegria para quem estava ao seu lado.

“Foram 14 anos de luta, de sofrimento, mas também de muita alegria, porque ele era uma criança que deixou todo mundo feliz. Eu só tenho que agradecer agora a Deus, porque ele está com Deus, porque ele é um anjo.”

DIÁRIO DO SERTÃO

Deixe seu comentário