header top bar

section content

Em depoimento emocionado, irmã conta como foram os últimos momentos de Adalberto Nogueira (VÍDEO)

A morte do engenheiro comoveu a cidade de Cajazeiras, que pôde prestar suas últimas homenagens no velório que ocorreu na Câmara Municipal

Por

22/01/2016 às 18h53

Foi velado na tarde e noite desta sexta-feira (22) na Câmara Municipal de Cajazeiras o corpo do engenheiro agrônomo Adalberto Nogueira, que faleceu na noite de quinta-feira em Fortaleza, após seu estado de saúde ter se agravado. Ele sofria de graves problemas renais, chegou a passar por uma cirurgia de urgência, mas não resistiu e faleceu após uma parada cardiorrespiratória.

A morte do engenheiro comoveu a cidade, que pôde prestar suas últimas homenagens na Câmara Municipal, onde o corpo foi velado. Por lá passaram amigos, parentes e personalidades públicas para darem o último adeus a um dos principais intelectuais da cidade.

VEJA TAMBÉM

► Padre faz discurso emocionante ao se despedir de Adalberto Nogueira. "Calou-se a voz indobrável"

► CAJAZEIRAS DE LUTO: morre em Fortaleza o engenheiro agrônomo Adalberto Nogueira

Adalberto era conhecido em Cajazeiras e região pelas suas previsões climáticas, por suas declarações polêmicas e também por ser um homem culto e preocupado com as causas sociais.

A irmã Alderiza Nogueira conta que, apesar de um estranho clima de despedida no encontro entre os familiares que ele mesmo pediu que acontecesse no hospital, os últimos momentos de Adalberto foram de demonstração de felicidade e luta pela vida.

“Ele chegou se sentindo bem, chegou alegre, brincando. Em todos os momentos ele demonstrou alegria. Mas no último dia ele teve uma piora. A gente tinha a perspectiva de que ele voltasse à normalidade, até porque ele tinha muita vontade de viver. Isso foi o que caracterizou os últimos dias de Adalberto.”

Ela disse que se surpreendeu com o carinho dos cajazeirenses ao seu irmão e revelou que o sepultamento será mesmo na terra do Padre Rolim e não no Rio Grande do Norte, onde os pais estão enterrados.

“O que me deixa feliz é chegar e Cajazeiras e sentir esse acolhimento. Ele dizia ‘eu não posso ficar em Fortaleza porque todo mundo de Cajazeiras gosta de mim’. Então hoje eu vejo que ele tinha razão.”

DIÁRIO DO SERTÃO

Tags:
NO ACÚSTICO DIÁRIO

VÍDEO: Músico que foi atingido por um tiro em São José de Piranhas se emociona ao relatar o fato

NESTE FIM DE SEMANA

VÍDEO: Comerciante africano traz a Cajazeiras feira popular de São Paulo que vende pela metade do preço

DIRETO AO PONTO

Nutricionista sousense fala sobre a hipertensão e ensina receita de sal de ervas

VÍDEO!

Diário esportivo fala sobre os craques da Copa do Mundo e o futebol amador da cidade de Cajazeiras