header top bar

section content

Proibida: Sesc divulga nota após peça polêmica de dedadas no ânus. Veja vídeo!

O Sesc Cariri argumentou que a apresentação tem classificação de 18 anos e apresentação às 23 horas.

Por

22/11/2015 às 11h45

Sesc divulga nota após peça polêmica de dedadas no ânus

Após a polêmica performance, intitulada Macaquinhos, e apresentada como parte da programação da 17ª Mostra Sesc Cariri de Culturas, em Juazeiro do Norte, no Ceará, viralizar na internet nesta quinta-feira (19), a assessoria da mostra divulgou uma nota de esclarecimento por meio da página oficial no Facebook.

O Sesc Cariri argumentou que a apresentação tem "classificação de 18 anos e apresentação às 23 horas, com exibição obrigatória da carteira de identidade". A nota destaca ainda que "tomou cuidado em não divulgar qualquer imagem do espetáculo, por entender que pessoas fora da faixa etária indicada não devem ter acesso a tais conteúdos e não apoia a sua divulgação e portanto repudia a postagem de cenas do referido espetáculo nas redes sociais".

A apresentação
No palco, um grupo de nove atores tocam nos ânus uns dos outros em uma roda. Segundo o grupo, a apresentação tem três pilares, todos relativos a essa parte do corpo.

A iniciativa ocorreu pela primeira vez em 2011, se repetiu em 2013 e 2014 e já havia causado celeuma nos outros locais onde foi apresentada, como na edição do ano passado do Fextival Mix Brasil, em São Paulo. Ela foi concebida pelos artistas Caio, Mavi Velos e Yang Dallas durante uma residência artística no Núcleo de Dirceu, em Teresina, no Piauí. 

Confira o vídeo!

Sete Candieiros com Diário de Pernambuco

EM CONTINÊNCIA AO SENHOR JESUS

Programa Em Continência ao Senhor Jesus com a participação do Sargento Souza e Marcos Alan

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe os organizadores do 1º Eco pedal e o garoto prodígio do futebol Luiz Felipe

MENSAGEM DE ESPERANÇA

Programa Mensagem de Esperança com Maria Vitória e Rodrigo Almeida 11.08.2017

INTERVIEW

Educadora fala da infância difícil e sua trajetória de sucesso: ‘Faltava dinheiro, mas não alegria’