header top bar

section content

Matadouro é mais uma obra esquecida pela prefeitura de Serra Grande. VEJA IMAGENS!

De acordo com ex-secretário, a construção do matadouro se deu através de convênio entre a prefeitura e o Governo do Estado no valor de 300 mil reais

Por

17/11/2015 às 14h46

A reportagem da TV Diário do Sertão, em visita à zona rural do município de Serra Grande, no sertão do estado, constatou mais uma obra da prefeitura que se encontra em total abandono quando já deveria estar servindo à população.

Depois de mostrarmos uma escola e uma praça abandonadas; um lixão a céu aberto e um sistema de abastecimento de água sem funcionar, agora a nossa reportagem foi levada até o prédio onde deveria funcionar um matadouro público, mas está entregue ao lixo e aos urubus.

Veja mais:

► Lixão em cidade do Sertão da Paraíba adoece crianças e polui água de açude

► Obra envolvida na Andaime é barrada pelo MPF; inauguração seria em junho de 2015

► Com reforma licitada há um ano, escola de Serra Grande está abandonada e materiais viraram lixo

► Sistema de abastecimento d'água não funciona, e povo de Serra Grande faz 'vaquinha' para ter motor

De acordo com o ex-secretário municipal de Infraestrutura Ronaldo Moura, a construção do matadouro se deu através de um convênio entre a prefeitura e o Governo do Estado no valor de 300 mil reais. O matadouro tem capacidade de abater até 30 animais por dia, mas sequer tem água no local.

As imagens mostram que, ao invés de água, os reservatórios estão cheios de carcaças de animais. A situação atrai urubus, ratos e cães para o local.

DIÁRIO DO SERTÃO

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares