header top bar

section content

Fórum de Cajazeiras adere a greve; situação está precária, revelou sindicalista. ASSISTA!

Segundo o representante da ASTAJ, os servidores judiciários de Cajazeiras trabalham em situação precária, por isso há demora no despacho de processos

Por

10/11/2015 às 16h04

Os servidores do Poder Judiciário da Paraíba entraram em greve por tempo indeterminado nesta terça-feira (10). Eles querem aumento salarial e melhores condições de trabalho. Com a greve, as atividades em todos os fóruns e comarcas ficarão limitadas a casos de urgência. Durante a paralisação algumas comarcas deixarão de executar atividades como atendimento ao público, realização de audiências, cumprimento de despachos e mandados judiciais.

Em Cajazeiras a TV Diário do Sertão conversou com o representante da ASTAJ (Associação dos Técnicos e Analistas Judiciários da Paraíba), Francisco Ralds, que deu mais detalhes sobre a paralisação e as condições de trabalho na comarca local.

Segundo ele, os servidores judiciários de Cajazeiras trabalham em situação precária, por isso muitas vezes há demora no despacho de processos. “Se reclamam muito da morosidade da Justiça, mas esquecem da falta de estrutura que colocam aos servidores. Tem cartório na comarca com quase quatro mil processos e apenas uma impressora para toda a demanda. Tem sala de audiência que nem impressora tem”, revelou.

De acordo com Francisco Ralds, as principais reivindicações da categoria são o reajuste salarial que já era para ter sido proposto em janeiro; auxílio alimentação e auxílio saúde vinculados ao contracheque; e abertura de edital de remoção de servidores, o que não acontece há mais de dois anos. Ele ressaltou que a greve foi motivada pela falta de diálogo do presidente do Tribunal de Justiça da Paraíba, Marcos Cavalcanti, com a categoria.

Cavalcanti, por sua vez, disse que o TJPB já garantiu um reajuste de 8.5% a partir de janeiro do próximo ano, percentual previsto no orçamento do Poder Judiciário para o exercício 2016.

DIÁRIO DO SERTÃO

A FAVOR DA REFORMA

Empresário diz que Justiça do Trabalho só penalizava os patrões e chama a CLT de ‘excrescência jurídica’

DA REGIÃO DE CAJAZEIRAS

VÍDEO: Do assassinato do pai ao sucesso na política, prefeito conta trajetória de superação no Interview

'AULÃO SOLIDÁRIO'

VÍDEO: Ordem DeMolay de Cajazeiras promove aulão gratuito preparatório para o ENEM; veja como participar

ENTRETENIMENTO

Maria Calado na TV com os integrantes do espetáculo “Trinca mas não quebra” e o cantor Lucas Soares