header top bar

section content

Jovem diz que irmã deficiente faleceu por erro em atendimento: “A Dra. chegou ela já estava no caixão”

A cajazeirense assegurou que vai procurar o Ministério Público para fazer a denúncia, pois sua irmã não teve atendimento.

Por

10/07/2015 às 17h01

​Uma popular identificada por Janiele Daniel da Silva, moradora do Bairro dos Remédios, usou a imprensa de Cajazeiras nesta sexta-feira (10), para denunciar suposta negligência, que teria causado morte de sua irmã.

De acordo com a mulher, sua irmã tinha deficiência mental e passou muito mal em casa na tarde dessa quarta-feira (08), mas não sabia dizer o que sentia, foi quando comunicou o problema ao Agente de Saúde de sua área e solicitou uma visita domiciliar, pois não tinha como levar a paciente até o Posto de Saúde da Família (PSF).

Janiele Silva contou que o agente de saúde negou a possibilidade do atendimento, pois o médico só faria visita domiciliar em dias programados para tal, o que, segundo Janiele, teria causado a morte da deficiente na noite do mesmo dia em que foi feita a solicitação. “Eu e minha mãe imploramos para que ele trouxesse a médica, mas ele disse que só na quinta-feira (09), que era dia de visita domiciliar”.

Emocionada, a jovem revelou que a irmã gritava de tanta dor, mas quando foi vê-la já havia morrido.

De acordo com Janiele, dias antes foi acionado o Samu para prestar socorro a paciente, que informou ser caso de PSF, pois, atendia somente casos de urgência. “Procurei o PSF várias vezes, mas minha irmã nunca seria atendida porque tinha que agendar atendimento, aí na quinta-feira veio a médica aqui e o Agente de Saúde para quê? Para ver minha irmã dentro de um caixão?”.

E tem hora?
O popular Janairton disse que a população de Cajazeiras tem horário para ficar doente, pois os PSF´s só funcionam durante o dia e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) e o Hospital Regional não atendem, mandam o paciente procurar o posto. “A gente só pode adoecer durante o dia, a noite não tem condições”.

Mais uma 
Já Rafael Gomes da Silva, do Bairro da Esperança, denunciou o atendimento médico da UPA. “A pessoa chega na UPA com uma dor no peito e eles passam um comprimido velho e manda ir embora, dizem que não é nada. Como não é nada?”.

Ouça depoimentos da Rádio Arapuan!

O outro lado
Procurado pela reportagem do Diário do Sertão, o secretário de Saúde de Cajazeiras, Henry Witchael informou que está apurando o caso e obteve depoimentos preliminares do assunto, mas serão responsabilizados quem for de direito e adiantou que a paciente teria que ser atendida no hospital já que estava passando mal.

Já o assessor de comunicação da UPA, Daniel Oliveira informou que unidade de Cajazeiras é de urgência e emergência e população de Cajazeiras está esquecendo da atenção básica e querendo ser atendida na UPA, mas assegurou que nenhum paciente deixa de ser atendido. "No mês passado atendemos oito mil pessoas. As demandas do PSF está indo toda para a UPA".

Outras
Na semana passada, a população de Cajazeiras usou o programa “Bom Dia Notícias” da Rádio Difusora de Cajazeiras para reclamar da falta de Agentes de Saúde em vários bairros do município.

Cinco pessoas participaram e reclamaram da ausência dos profissionais de saúde, nas seguintes localizações: Rua 13 de Maio, Rua João Rodrigues Alves, Rua Antonio Pereira Filho, Bairros dos Tercedores e Bairro dos Remédios.

Uma professora disse que não sabe quem atende seu logradouro, Rua Antonio Pereira Filho e declarou: “Não conheço nem o agente de saúde desta gestão”.

DIÁRIO DO SERTÃO

CALDEIRÃO POLÍTICO

VÍDEO: Aliado releva que dois vereadores de oposição estão rasgando elogios ao prefeito Airton Pires

DIÁRIO ESPORTIVO

Diário Esportivo recebe o professor Sérgio Cunha divulgando o IV Open paraibano de Karatê; Confira!

CASA NOVA

Locutor esportivo troca de emissora de rádio em Cajazeiras e revela mágoa: “Tomei uma pancada violenta”

NOVIDADES

VÍDEO: Novo padre da Paróquia São João Bosco confirma que pretende revitalizar a Praça Camilo de Holanda