header top bar

section content

Prefeito do Sertão mantém cofres do muncípio com saldo de R$ 780 mil e não paga os salários atrasados

O prefeito também não está fazendo o repasse dos servidores para o INSS. As irregularidades foram apontadas pelo Ministério Público.

Por

18/11/2011 às 08h55

O Ministério Público, através da Promotoria do Patrimônio Público de Catolé do Rocha, e o Tribunal de Contas do Estado realizaram esta semana, uma inspeção na prefeitura de Catolé do Rocha e constatou diversas irregularidades. A inspeção foi realizada após o MP detectar, em análise das informações do sistema Sagres, do TCE, que o valor de dinheiro em espécie nos cofres da prefeitura girava em torno de R$ 780 mil, conforme dados de agosto deste ano.

Segundo o promotor de Justiça, Ítalo Mácio de Oliveira, “a quantia revelava-se suspeita porque os pagamentos via conta caixa só podem alcançar o valor de R$ 300 cada, destinados a pequenas despesas do município, não havendo qualquer justificativa para manutenção de um valor tão elevado nos cofres da prefeitura de Catolé”.

Pendência
Durante a inspeção ficou constatado que o município possui pagamento de pessoal em atraso e não vem repassando integralmente os valores devidos ao INSS. Além disso existe uma desorganização na documentação apresentada, realização de despesas sem prévio empenho, e, ao contrário do que a própria administração municipal afirmava em seus balancetes mensais enviados ao TCE, não havia um só centavo nos cofres da prefeitura.

Irregular
“Essa circunstância, além de constituir forte indício da prática de desvio ou malversação de recursos públicos, através do uso do chamado caixa dois, pode implicar na responsabilização criminal dos envolvidos pelo cometimento de falsidade ideológica, já que mensalmente eram confeccionados e assinados documentos encaminhados ao Tribunal de Contas do Estado contendo informação inverídica sobre o valor disponível em espécie no município”, informou o promotor.

Punição
Após a inspeção, os técnicos do TCE irão elaborar um relatório com base no qual o Ministério Público concluirá se as irregularidades citadas serão comprovadas, dando início aos procedimentos como o objetivo de responsabilizar cível e criminal os envolvidos, além da recomposição do dinheiro público.

DIÁRIO DO SERTÃO com assessoria

Tags:

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula