header top bar

section content

NO SERTÃO: Duas agências do Banco do Brasil adere ao movimento grevista e sindicato comemora

De acordo com o presidente do sindicato dos bancários, uma agência de Cajazeiras entrou com uma ação na justiça para reabrir e voltar a funcionar.

Por

07/10/2011 às 07h10

Duas das últimas agências bancárias que estavam em funcionamento na Paraíba, aderiram à greve dos bancários nesta quinta-feira (06). Trata-se do Banco do Brasil (BB) das cidades de São José de Piranhas, região de Cajazeiras e Conceição, no Vale do Piancó.

A agência funcionou normalmente até essa quarta-feira (05), mas os funcionários decidiram paralisar suas atividades nesta quinta, para unirem forças com os colegas, que estão de braços cruzados em todo o território brasileiro há mais de uma semana.

Os clientes do BB da cidade de Cajazeiras estavam se deslocando à cidade de São José de Piranhas para resolver suas pendências bancárias nesse período grevista, mas a partir de agora ficaram sem opção e terão que aguardar o fim do movimento.

A nossa reportagem tentou falar com os gerentes do BB das agências que aderiram a greve, porém sem êxito.

Sindicato
O presidente do sindicato dos bancários, Nelson Soares, confirmou a informação e disse que agora 100% das agências bancárias do Sertão aderiram a greve.

Nelson informou também, que o Banco Bradesco de Cajazeiras entrou com ação na justiça, com pedido de liminar, para abrir a instituição, porém, foi negada.

"Nosso movimento está ganhando força e notoriedade, pois estamos unidos na luta por nossos direitos". Frisou Nelson

DIÁRIO DO SERTÃO
 

Tags:

“Boca Quente” fala sobre Nilvan, Josival, Gutemberg e narra fato que mais lhe chamou atenção na área policial

PROGRAMA XEQUE-MATE

VÍDEO: Padre e missionários falam sobre recuperação de dependentes químicos na região de Cajazeiras

DIÁRIO ESPORTIVO

Ao lado de grandes nomes da imprensa, Diário Esportivo debate as rodadas da Série C e D do Paraibano

PARTIU PARA O ATAQUE

VÍDEO: Júnior Araújo diz que José Aldemir vai perseguir servidores que não apoiarem campanha de Paula